Partilhar

Zeca Baleiro celebra em Portugal os seus 26 anos de carreira

No espetáculo apresenta o disco Canções d’Além-mar onde homenageia cantautores portugueses.

Em 2020, em plena pandemia, Zeca Baleiro lançou o disco Canções d’Além-mar, onde canta, com sotaque do Brasil, composições de grandes nomes da música portuguesa.

Esse trabalho foi premiado com o Grammy latino 2021 e que coloca o cantor e compositor brasileiro no centro das novas questões de cidadania, especialmente quando a comunidade de origem brasileira em Portugal é cada vez maior.

Esse trabalho foi premiado com o Grammy latino 2021 e que coloca o cantor e compositor brasileiro no centro das novas questões de cidadania, especialmente quando a comunidade de origem brasileira em Portugal é cada vez maior.

Foto de Diego Ruahn

Agora, Baleiro retorna a Portugal com o espetáculo “Na ponta da língua”, a convite da Associação Portugal Brasil 200 Anos e da UAU, para comemorar seus 26 anos de carreira e (re)inaugurar a Casa da Cidadania da Língua, a nova denominação da Casa da Escrita, aberta desde 2010.

Para as apresentações, Zeca Baleiro vem acompanhado de amigos de muitos palcos como Tuco Marcondes (violão, guitarra e vocais) e Luis Coimbra (violoncelo e vocais), para homenagear Sérgio Godinho, Pedro Abrunhosa, Fausto, Zeca Afonso, Rui Veloso e Carlos Tê, Jorge Palma, António Variações, Ornatos Violeta, Vitorino, João Gil e João Monge, José Cid, José Mário Branco e o grupo Xutos e Pontapés.

Mas também terá músicas que marcaram sua carreira e que são sempre pedidas pela plateia, como “Telegrama”, “Flor da Pele”, “Babylon” e “Bandeira”, e de discos mais recentes, como “Era Domingo”, “Ela Nunca Diz”, “Vento de Outono” e “Respira”, em parceria com Chico César.

SERVIÇO

ZECA BALEIRO – NA PONTA DA LÍNGUA

12/out – Coimbra – Convento São Francisco – Grande Auditório – informações e ingressos
13/out – Lisboa – Teatro Tivoli Bbva – informações e ingressos
14/out – Porto – Casa Da Música – Sala Suggia – informações e ingressos

Industrializar Galiza. Vaia uma ironia!

Aberta convocatória da XXIV Ediçom do Prémio de poesia Fiz Vergara, que nom discrimina por normativa

Disponibilizamos contributos de Luísa Villalta na Revista Agália

Séchu Sende apresenta O Povo Improvisador no CS Gomes Gaioso da Corunha

Lançamento do livro 50 anos de Abril na Galiza, na Guarda

Sergio Rey, do IES de Cacheiras, ganha o “I Prêmio Escolar Internacional de Livros de Cordel”

Industrializar Galiza. Vaia uma ironia!

Aberta convocatória da XXIV Ediçom do Prémio de poesia Fiz Vergara, que nom discrimina por normativa

Disponibilizamos contributos de Luísa Villalta na Revista Agália

Séchu Sende apresenta O Povo Improvisador no CS Gomes Gaioso da Corunha