Iria Veiga: “O binormativismo contribuiria a achegar conteúdos noutras normas e visibilizar as possibilidades comunicativas e a riqueza do galego”



iria-veigaNeste ano 2021 há 40 anos que o galego passou a ser considerada língua co-oficial na Galiza, passando a ter um estatus legal que permitiria sair dos espaços informais e íntimos aos que fora relegada pola ditadura franquista. Para analisar este período, iremos realizar ao longo de todo o ano, umha série de entrevistas a diferentes agentes sociais para darem-nos a sua avaliaçom a respeito do processo, e também abrir possíveis novas vias de intervençom de cara o futuro.
Desta volta entrevistamos a médica psiquiatra interessada na divulgaçom científica e na língua galega, Iria Veiga.

Qual foi a melhor iniciativa nestes quarenta anos para melhorar o status do galego?
É possível que, por idade, haja muitas que nom conheça, já que fago 40 anos ao mesmo tempo que a oficialidade do galego. Das que vivim e lembro, destacaria duas. A primeira, o Xabarín Clube, graças ao qual muitas moças associamos por vez primeira o galego com o lazer, a diversom e a modernidade. A outra foi a criaçom das equipas escolares de Normalizaçom Linguística, que figérom e fam um trabalho de base espetacular, e que permitiu a muita rapazada pôr em valor o uso do galego e implicar-nos em tarefas normalizadoras.

Graças ao Xabarín Clube muitas moças associamos por vez primeira o galego com o lazer, a diversom e a modernidade.

Se pudesses recuar no tempo, que mudarias para que a situação na atualidade fosse melhor?
Eu diria que formular um modelo de imersom linguística no espaço escolar desde a Escola Infantil, em lugar da atual lei que relega o galego ao estatus de língua estrangeira e cria ambientes castelhanizantes no ensino obrigatório.

Que haveria que mudar a partir de agora para tentar minimizar e reverter a perda de falantes?
turingDe novo, enquanto as políticas educativas nom apostarem formalmente na normalizaçom, será mui difícil que isto aconteça. Além disso, também seria importante criar conteúdos audiovisuais em galego e facilitar e visibilizar os que já existem em galego internacional para reverter a perda de falantes

Achas que seria possível que a nossa língua tivesse duas normas oficiais, uma similar à atual e outra ligada com as suas variedades internacionais?
Si, acho perfeitamente possível e mesmo desejável. O modelo ILG nom foi capaz de deter a queda no número de falantes e, portanto, o seu principal argumento a nível prático (o maior conhecimento dos falantes pola sua proximidade com o castelhano) fica deslegitimado a este nível. A existência e difusom de duas normativas contribuiria a achegar conteúdos noutras normas e visibilizar as possibilidades comunicativas e a riqueza do galego.


PUBLICIDADE

  • https://pglingua.org/index.php abanhos

    Bom Íria, não é já hora de te passares ao galego histórico…
    Freud havia de dizer muito de avango que supõe essa ruptura.

  • ernestovazquezsouza

    Bem interessante. Uma pessoa lúcida e generosa.