Cinco verbas sobre o domínio .cat



dominio-catO ano de 2005 foi testemunha de uma vitória da língua e da cultura catalãs: o domínio .cat foi aprovado oficialmente pela Internet Corporation for Assigned Names and Numbers (ICANN). O sucesso pioneiro da extensão .cat abriu as portas para que, quase uma década depois, outros domínios de caráter cultural como o .gal adquirissem uma visibilidade tão necessária num mundo globalizado onde a diversidade linguística se encontra absolutamente ameaçada. De modo breve, gostaria de fazer cinco apontamentos sobre a história e a situação presente do domínio .cat, com três lustros de vida na rede:

1) A luta pela consecução de um domínio identificativo para os territórios de língua catalã começou na década de 1990 desde a esfera privada. Na verdade, a intenção inicial era o nascimento do .ct, equiparável aos outros domínios nacionais de nível superior. Foram as dificuldades para obtê-lo as que propiciaram a mudança da estratégia para visibilizar a cultura catalã no mundo virtual. Passaram a coexistir, portanto, as tentativas para atingir o clássico domínio de duas letras que possuem os países independentes (.ct) com o objetivo de possuir um domínio de topo patrocinado que, pela primeira vez, representasse uma comunidade cultural (.cat). Em 2004, aproveitando que a ICANN tinha aberto um processo de criação de domínios para comunidades digitais, foi apresentada a candidatura do .cat, o qual recebeu o sinal verde no ano seguinte e começou a sua bem-sucedida expansão cibernética em 2006.

A luta pela consecução de um domínio identificativo para os territórios de língua catalã começou na década de 1990 desde a esfera privada. Na verdade, a intenção inicial era o nascimento do .ct, equiparável aos outros domínios nacionais de nível superior.

2) Como recolhe uma recente análise publicada pela Fundació puntCAT, em 2020 o maior crescimento do domínio associado à língua catalã produziu-se nas ilhas Baleares. Ainda que o .cat, a diferença dos domínios estatais como o .pt, o .es ou o andorrano .ad, não seja um domínio político senão cultural, os dados conduzem-nos a uma conclusão obrigada: para algumas empresas, particulares, entidades e administrações o domínio que representa a língua catalã na Internet pode adquirir conotações políticas. É uma explicação plausível ao facto da ilha de Maiorca, com uma população cinco vezes menor da que possui o País Valenciano, concentrar 3.145 dos domínios .cat frente aos 1.245 localizados no território valenciano. Cumpre dizer que o .cat tem sido adotado como próprio por importantes instituições das ilhas Baleares, entre as quais o concelho de Palma ou os governos insulares de Maiorca, Ibiza e Formentera.

Para algumas empresas, particulares, entidades e administrações o domínio que representa a língua catalã na Internet pode adquirir conotações políticas.

3) Ao geolocalizá-los, observamos que 87,66% dos domínios situam-se nos territórios onde o catalão é a língua própria e 12,34% deles ficam fora da área linguística catalã. Enxergando as fronteiras estatais, vemos que o Reino da Espanha (93,38%), a República Francesa (1,64%) e Andorra (0,17%) concentram uma parte importante das páginas que possuem um domínio .cat. Fora desses três estados, é salientável a sua crescente presença na Alemanha (1,54%), superior à de outros países como os Estados Unidos da América (0,57%), a China (0,28%) ou o Reino Unido (0,25%). Mesmo que pouco presente no amplo espaço lusófono, há cerca de uma dúzia de .cat registados em território português e uma quantidade bem semelhante no Brasil. Uma dessas interessantes exceções é a do portal de notícias Aqui Catalunha, uma iniciativa liderada pelo carioca Rodrigo Alves, um professor de idiomas que ingressou no universo da língua catalã empurrado pelo seu entusiasmo pelo FC Barcelona.

4) Como é natural, a grande maioria dos domínios .cat têm a sua portada em catalão. Agora bem, em muitos casos o conteúdo inicial aparece noutras línguas, nomeadamente a inglesa (12.114), a castelhana (9.914) e a francesa (156). Aliás, mais de 72% dos domínios correspondem a portais ativos e com conteúdos, perto de 12% a sítios web em construção e o resto não têm ainda um hosting contratado.

No momento de escrever este artigo, havia 5.903 domínios registados com o .gal. No caso do basco .eus, o número de páginas associadas a ele ascendia às 12.180. Ao mesmo tempo, o bretão .bzh orgulhava-se de superar os 10.000 domínios. No fim de 2020, havia até 110.802 domínios .cat, o maior registo atingido até agora.

5) No momento de escrever este artigo, havia 5.903 domínios registados com o .gal. No caso do basco .eus, o número de páginas associadas a ele ascendia às 12.180. Ao mesmo tempo, o bretão .bzh orgulhava-se de superar os 10.000 domínios. No fim de 2020, havia até 110.802 domínios .cat, o maior registo atingido até agora. Uma cifra imponente que contrasta com as dos anos 2008 (33.410), 2012 (61.402) ou 2015 (97.423). Porém, desde 2016 o crescimento do .cat na rede encontra algumas dificuldades. Será preciso competir com as alternativas existentes através de preços competitivos e de uma promoção ativa do domínio que nos apresenta perante o mundo como aquilo que somos.

Pau Roig Clofent

Pau Roig Clofent

É um catalão nascido em 1987 em Arenys de Mar. Estudou Ciência Política e da Administração (diploma) e tem participado em alguns meios de comunicação locais, pois, na verdade, adora o jornalismo e a comunicação, embora a sua vida profissional tem-se desenvolvido em latitudes algo distantes. A sua paixão pelas línguas está a crescer todos os dias e segue de perto a história, a política e o desporto. Nesses tempos de redes sociais, tem uma conta no Twitter: twitter.com/pauroig5
Pau Roig Clofent

Latest posts by Pau Roig Clofent (see all)


PUBLICIDADE

  • https://www.facebook.com/antonio.gilhdez.1 António Gil Hdez

    Interessante. Parabéns!
    (Verba = palavra?)

    • Pau Roig

      Obrigado, António!

      (Desde o meu domínio do idioma, ainda bem melhorável, empreguei a palavra “verba” no sentido de nota ou apontamento)