Partilhar

Batatas a murro

Não sei se já faz vos contei que há anos que não viajo ao Porto. Sou tão apaixonada por Lisboa que acabo sempre por voltar. Ou indo mais para sul e descobrir outros lugares onde nunca estiveram antes. Com a desculpa de já ter estado de criança, acabo por dar prioridade a outras cidades. Mas, finalmente, íamos voltar em 2020. Já temos tudo reservado, restaurantes consultados, hospedagem, bilhetes, roteiros… mas chegou a pandemia e fiquei sem ir. Assim que ainda tenho aquele espinha lá, até podermos ir.

E conto-vos isto para dizer que tenho saudades de viajar e, sobretudo, de viver em Portugal. É uma forma simples de poder viajar para um lugar sem sair de casa e através da sua gastronomia. É curioso, ou talvez não, mas tenho que admitir que nunca tive oportunidade de experimentar as batatas a murro em Portugal, ou bem não me lembro, o que também poderá ser. Agora tenho outro motivo para voltar, experimentá-los lá, claro. Parece-me uma receita muito original, com um ótimo sabor, saudábel e uma textura que tenho certeza que você vai adorar. E está tudo pronto para dizer que tenho coragem de viajar e, sobretudo, de viver em Portugal. É uma forma única de poder viajar para um lugar sem sair de casa e através da sua gastronomia. É curioso, ou talvez não, mas tenho que admitir que nunca tive oportunidade de experimentar batata doce de murro em Portugal, mas não me lembro, o que também poderá ser. Agora tenho outro motivo para voltar, experimentá-los lá, claro. Parece-me uma receita muito original, com um ótimo sabor, saudábel e uma textura que tenho certeza que você vai adorar.

Ingredientes:

  • 16 patacas pequenas
  • água
  • sal
  • azeite
  • especiarias a gosto, eu usei pemento doze (opcional)

Preparação:

  1. Lavamos as patacas com casca e cozemo-las em água com sal até ficarem moles. Vamos colocar o forno para aquecer a 180ºC.
  2. Deixamos as batatas arrefecer.
  3. Com uma cunca esmagamos um pouco cada pataca.
  4. Colocamos cada batata desfiada no tabuleiro do forno e adicionamos um pouco mais de sal, azeite e pimenta. Podes adicionar outras especiarias ou simplesmente polvilhar com azeite e sal.
  5. Enfornamos por cerca de 15 minutos e por mais 5-10 com grelha para que fiquem torradinhas.

São umas batatas bem saudáveis, simples de fazer e o seu sabor é incrível. Cremosa por dentro e com um toque crocante por fora, a batata grelhada é o complemento perfeito para qualquer prato, ou ideal para comer com molhos. Eu de vocês, não esperaria muito tempo para as preparar!

Carme Saborido: “A leitura continuada pode ser um impulso para mais pessoas fazerem outro tipo de consumo cultural que considere a lusofonia como um meio para atingir um fim: viver em galego”

A poesia de Rosalía e Luz Pozo em japonês

Alcachofras assadas

Alexandre Banhos: “A Lei Paz-Andrade é absolutamente desconhecida da administração galega, deu pouco de sim, poderia vir a dar no futuro”

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Carme Saborido: “A leitura continuada pode ser um impulso para mais pessoas fazerem outro tipo de consumo cultural que considere a lusofonia como um meio para atingir um fim: viver em galego”

A poesia de Rosalía e Luz Pozo em japonês

Alcachofras assadas

Alexandre Banhos: “A Lei Paz-Andrade é absolutamente desconhecida da administração galega, deu pouco de sim, poderia vir a dar no futuro”