Partilhar

Sergio Rey, do IES de Cacheiras, ganha o “I Prêmio Escolar Internacional de Livros de Cordel”

O Clube da Língua do IES Marco do Camballón de Vila de Cruces fazia público na semana passada o nome do ganhador galego do “I Prêmio Escolar Internacional de Livros de Cordel”, coorganizado com o instituto Rochael de Medeiros de Recife, Brasil. O premiado é Sergio Rey Dalama, de 13 anos, e estudante de 1º de ESO no IES de Cacheiras.

Este prêmio tem como objetivo valorar a poesia popular, vincular a tradição do cordel à história do Brasil e da Galiza e modernizar o livro de cordel e a oralidade em língua galego-portuguesa. Além disso, é objetivo principal estabelecer relaçoes entre escolares da Galiza e Brasil através das culturas próprias e o português.

O livro de cordel vencedor leva por título “Um Dragão Campeão” e o prêmio para Sergio Rey Dalama é um presente de carácter cultural por valor de 50 euros e 50 exemplares do seu livro, que será editado e publicado polo Clube da Lingua do instituto de Vila de Cruces. Ademais, vários centos de exemplares serão enviados à escola Rochael de Medeiros de Brasil.

Sergio Rey Dalama conta que estuda português porque “gosto muito, é muito parecido com o galego” e afirma ter participado no I Prêmio Escolar Internacional de Livro de Cordel com um poema sobre o fútebol porque “no meu tempo livre jogo no S.R. Calo e o desporto, junto com videojogos é uma forma de diversão que adoro”.

No IES de Cacheiras tenhem mais de 160 estudantes de português, de primeiro da ESO a segundo de Bacharelato. No próximo ano escolar, a matéria será oferecida, além de como segunda, como primeira língua estranxeira para o primeiro ano da ESO e contam também com Reforzo de Português Oral e Matemática em português (secção bilingue).

Desde o instituto de Cacheiras explicam: “Dentro das nossas dinâmicas de trabalho por projetos, temos incentivado a literatura de cordel com um grupo de estudantes, entre os que várias pessoas têm participado nesta importante iniciativa do IES Marco de Camballón de Vila de Cruces e do Centro de Ensino Secundário Rochael de Medeiros de Recife, Brasil. Trabalhamos com a definição e a importância da Literatura de Cordel, com a versificação e a poesia narrativa e desenvolvemos um trabalho que vai ser promovido na escola com uma exposição sobre a literatura de cordel e os produtos elaborados por estudantes do primeiro ano de Português.

A boa dinâmica de aprendizagem dos nossos e as nossas estudantes no IES de Cacheiras (Teo), o trabalho colaborativo da professora de Português Iolanda Aldrei, a auxiliar de conversa Bárbara Mateiro, da professora de Matemática, Isabel Mato, a implicação da equipa diretiva, das famílias e do professorado e do pessoal não docente do IES, permitem desenvolver diferentes projetos ligados a um Contrato-Programa, assim como promover iniciativas lúdicas de aprendizagem, nas que o uso comunicativo do Português e o contato cultural com a Lusofonia são foco de valores como a paz, o convívio a integração, a partir de iniciativas derivadas da Lei Paz Andrade e da posta em valor da língua da Galiza como vínculo com a Lusofonia.”

Este prémio é um incentivo para Sergio Rey e para todo o nosso alunado. Desde o Departamento de Português do IES de Cacheiras, agradecemos a Iniciativa do IES Marco de Camballón e do seu Clube da Língua, assim como a da Escola Rochael de Medeiros.”

Lançamento do livro A Abolição do género para a sua expansão em Compostela

Clara Corbelhe lança coleção de Ensaio Crítico Galego em parceria com a editora Laiovento

Sara Rodríguez: “A sobrevivência do galego no Bierzo depende dum trabalho coletivo”

Estudantes de Outes trabalham sobre as ligações de Fernando Pessoa com a Galiza

Escolas de Ensino Galego Semente lançam primeiro acampamento nacional para crianças e adolescentes

Lançamento do livro Johán Vicente Viqueira / João Vicente Biqueira (1924-2024). Poemas e ensaios em Bandeira

Lançamento do livro A Abolição do género para a sua expansão em Compostela

Clara Corbelhe lança coleção de Ensaio Crítico Galego em parceria com a editora Laiovento

Sara Rodríguez: “A sobrevivência do galego no Bierzo depende dum trabalho coletivo”

Estudantes de Outes trabalham sobre as ligações de Fernando Pessoa com a Galiza