PETISCOS DE ANTIMATÉRIA

Os subsídios aos meios de comunicação ‘gallegos’



A Junta da Galiza concedeu recentemente um subsídio de 1,7 milhões de euros aos meios de comunicação galegos que publicam em castelhano. O objeto da subvenção é defender: «a identidade de Galicia e os seus intereses, a súa lingua, a súa cultura e, en xeral, a galeguidade entendida como vínculo histórico dos galegos de dentro e fóra de Galicia». A maioria dos dinheiros, nomeadamente 42,53% (709.891€) , foi para o grupo La Voz. Temos a certeza que este grupo empresarial não defende a língua, pois é algo facilmente verificável, se entendemos por defender a língua fomentar o seu uso. Ora bem, podemos ter a certeza que defende a cultura e a identidade galegas? Neste âmbito não é fácil quantificar quanto é que esta média castelhanófona promove a cultura e a identidade galegas. Do ponto de vista minimalista, ter o termo «Galicia» no nome da marca e o endereço social na Corunha podem ser evidências irrefutáveis da galeguização da empresa e dos seus produtos. Além disso, se também publicam notícias de proximidade que falam de «Galicia» e dos habitantes da nossa amada terra, então daquela fica bem justificado o subsídio.

Para termos uma modesta evidência quantitativa dos conteúdos que destaca La Voz de Galicia, arranjei um pequeno experimento de linguística de corpus, de que tanto gosto, que consiste no seguinte.

Recolhi automaticamente da Web notícias de três jornais: La Voz, PGL e ABC. De cada jornal, juntei 10 milhões de carateres (10M) de texto. Apliquei sobre essas notícias um extrator de termos multipalavra, que extrai e ordena as multipalavras em função de um peso estatístico. Este peso pode ser percebido como o grau de «representatividade» ou de «relevância» do termo. Finalmente, seleccionei os 15 termos mais representativos (ou relevantes) de cada meio de comunicação contendo a palavra «Galiza»/«Galicia». Os resultados aparecem na imagem abaixo.

multipalavras

Enquanto o PGL fala claramente da cultura, da língua e da história da Galiza, La Voz de Galicia ressalta cousas muito semelhantes às que também destaca o ABC, nomeadamente, os lugares, a geografia, as autoridades e o clima da nossa amada terra. Por sinal, o termo multipalavra «ama Galicia» aparece um cacho mais abaixo no ranking de termos de La Voz. O amor à nossa terra fica assim imortalizado.

Cumpre dizer que há uma pequena diferença entre o ABC e La Voz no que diz respeito à representatividade da gastronomia e os desportos. Enquanto os amigos madrilenos gostam do nosso marisco, La Voz destaca a nossa Volta ciclista, algo que provavelmente justifica de avondo a milionária subvenção recebida.

 

Paulo Gamalho

Paulo Gamalho

Paulo Gamalho nasceu em Freixeiro (Vigo) em 1969. É licenciado em Filologia Hispânica pola USC e Doutor em Linguística pola Université Blaise Pascal, França. É docente-investigador especializado em linguística computacional.
Paulo Gamalho

Latest posts by Paulo Gamalho (see all)


PUBLICIDADE

  • ranhadoiro

    Na Galiza as autoridades rim-se do povo. A intitulação das ajudas é um sarcasmo
    Mas sarna com gosto…

  • Ernesto V. Souza

    Adoro o jeito sarcástico do Paulo.