Novidades Através: “A UPG em Portugal e alguma coisa mais”, de Luís Gonçales Blanco, “Foz”



A coleção Através de Nós da Através Editora vém de lançar a sua última novidade, um ensaio do histórico militante Luís Gonçales Blanco sobre a UPG.

A UPG em Portugal e alguma coisa mais é o irmão do vasto livro que Luís Gonçales Blasco apresentou em 2012 sobre a organização exterior da UPG. O livro que hoje se apresenta relata como a UPG encontrou em Portugal um lugar desde onde fazer política.

O livro relata as relações da UPG com os partidos da esquerda portuguesa, mas também com os partidos da esquerda estatal espanhola. O livro que caminha entre a história política e o relato em primeira pessoa, já que o autor é protagonista da história que relata, é um excelente documento para compreender a magnitude das relações dum partido da esquerda soberanista galega com as diversas organizações que naquela altura lutavam por um mundo distinto. Como diz Uxío-Breogán Diéguez no seu prólogo: “E graças ao privilegiado olhar (e conhecimento) que Foz partilha connosco, a leitora e o leitor podem conhecer profundamente a solidariedade (potente e formosa arma revolucionária) da militância antisalazarista”

O livro é um trabalho exaustivo para dar a conhecer certas partes da história que ficariam sem explicar no livro anterior e que, como bem explica Carlos Velasco nas suas palavras iniciais para Foz, “Certamente, o estudo de 2012 não podia ficar completo sem este acréscimo que, como parte indissociável que é, surge caraterizado pela mesma exaustividade no manejo das fontes (bibliográficas, documentais e orais, em número amplíssimo) e polo mesmo gosto pelo detalhismo na informação.”

O livro que caminha entre a história política e o relato em primeira pessoa, já que o autor é protagonista da história que relata, é um excelente documento para compreender a magnitude das relações dum partido da esquerda soberanista galega com as diversas organizações que naquela altura lutavam por um mundo distinto.

 

Em 2012, Luís Gonçales Blasco “Foz” apresentava um vasto livro sobre a política e organização exterior da UPG nos seus primeiros anos editado por Laiovento. Com o presente texto, o livro cresce e é revisto, mostrando como a UPG encontrou, em Portugal, um lugar para fazer política contra a ditadura franquista e, da mesma forma, contra a política antisalazarista. A relação com a esquerda portuguesa continua, de facto, a ser uma parte fundamental da política do nacionalismo galego. Abordam-se aqui, também, as relações da UPG com os partidos espanhóis à esquerda do PSOE e, ainda, com os partidos nacionalistas não signatários da Carta de Brest.

Este volume apresenta, em suma, um olhar privilegiado da história política da Galiza contemporânea, no tempo do tardofranquismo e da Transição, dada a implicação política do seu autor na história que relata. O livro caminha entre esta história política documentada e o relato em primeira pessoa de momentos importantes da história do soberanismo galego, como o episódio em que se ouve, pela primeira vez, Zeca Afonso, na Galiza.


PUBLICIDADE