Partilhar

Mulheres, patrimónios, sociedade: 4º ciclo de cinema galego-português

O Ciclo focará no papel das mulheres no mundo da morte e da dor.

Segundo o Consello da Cultura Galega, entidade organizadora, esta temática tem “umha forte carga patrimonial e social, um mundo que une muitos territórios do rural galego e português, onde apresenta características comúns arredor do papel da mulher, as crenças e os ritos, mas também algumhas divergências.”

Estrutura-se em três jornadas continuas (quinta-feira, sexta-feira e sábado) nas que se projectarám duas longametragens, umha portuguesa e umha galega, e várias curtas também galegas e portuguesas, seguidas dum debate que contará com a participaçom das diretoras e diretores.

Na Jornada inaugural, no dia 27 de outubro, às 19h decorrerá a apertura do Ciclo com Rebeca Blanco-Rotea, coordenadora da Secçom de Património e Bens Culturais do CCG, umha representante da câmara municipal de Verim e
Rosario Álvarez Blanco, presidenta do Consello da Cultura Galega.

Às 19.15 decorrerá a projeçom de:

  • A Metamorfose dos Pássaros, Catarina Vasconcelo, seguida do debate.

Na Jornada de curtas no dia 28 às 19h apresentaram-se:

  • A menina que vía homes encadeados, Alicia López
  • Arraigadas á terra, Lorena Álvarez Martínez e Iris Justo
  • Santa Baia de Montes, Sabela Souto
  • Barbas de baleia, Mariana Bártolo
  • Agua mole, Alexandra Ramires (Xá) e Laura Gonçalves
  • Em companhia da morte, Vanesa Vilaverde, João Aveledo e Eduardo Maragoto
  • Mate, Pedro Noites

Na Jornada do dia 29 às 19h projectara-se:

  • Negro púrpura, Sabela Iglesias e Adriana P. Villanueva

Ambos visionados serám, também, seguidos dum debate.

O objetivo do ciclo é promover a troca cultural entre Galiza e Portugal. Depois dumha primeira ediçom, que decorreu em Braga (Portugal) em três jornadas do mês de maio de 2018, a segunda ediçom foi em Vigo, no mês de setembro do 2019, e a terceira ediçom foi já em 2021, de novo num período de três dias, no mês de Outubro, e na cidade portuguesa de Arcos de Valdevez.

As instituições implicadas na organizaçom som o Consello da Cultura Galega, a Universidade do Minho (UMinho), o Centro de Estudos Galegos, o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, o Museo do Pobo Galego a través da Mostra Internacional de Cine Etnográfico e o Concelho de Verím.

 

 

 

 

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo

Crianças homenageiam Rosalia de Castro este sábado em Outeiro de Rei

Conversa arredor da obra “Porque caiu a Galiza” de José Manuel Barbosa em Carvalho

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo