Partilhar

María López Regueiro, neofalante: “O que fai especial o pessoal da Galiza é ter um idioma próprio”

María López Regueiro tem 23 anos e é opositora a professora de Ensino Primário. Sempre falou castelhano no ámbito social, mas ao chegar à Universidade decidiu mudar para o galego.

Ela defende que para ela algo que faz “especial ao pessoal da Galiza é ter um idioma próprio, algo que te identifica”.

[Esta entrevista foi publicada originariamente em neofalantes.gal]

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo

Crianças homenageiam Rosalia de Castro este sábado em Outeiro de Rei

Conversa arredor da obra “Porque caiu a Galiza” de José Manuel Barbosa em Carvalho

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo