Partilhar

Lançamento do livro González-Millán, a projeção de um pensamento crítico, em Braga

A apresentaçom decorrerá no marco do XIV Congreso Internacional da Asociación Internacional de Estudos Galegos

O evento decorrerá na próxima quinta-feira, dia 18 de abril, às 16h na Sala 2 do Campus de Gualtar, da Universidade do Minho.

No evento falarám a professora Cristina Martínez e o professor Isaac Lourido, responsáveis -junto com Arturo Casas- da presente ediçom, que saiu do prelo sob o selo da Através Editora.

A publicação reúne contributos de especialistas dos estudos galegos, nomeadamente, Helena González, Álex Alonso Nogueira, María Liñeira, Pablo Pesado e María do Cebreiro Rábade Villar. Este elenco de profissionais da investigação literária junta académicas/os que tiveram contacto direto e colaboraram com González-Millán e estudiosas/os que se aproximaram da sua obra de forma ativa. Desenvolve-se deste jeito um diálogo crítico com o legado teórico de González-Millán com o fim de abrir novas leituras e vias de interpretação — também para identificar lacunas e inconsistências, algumas fruto da atualização histórica que permitem as décadas percorridas desde o fatídico 2002.

Tudo isto configura um volume de interesse fulcral para os estudos galegos atuais, embora não se esgotem nos escritos aqui contidos as reflexões e possibilidades hermenéuticas que a diversa (e lúcida) produção do autor de Ogrove permite enxergar.

Pouco mais de vinte anos depois da sua morte, a sua obra abre-se neste livro a um renovado diálogo crítico com especialistas atuais do campo académico galego.

Xoán González-Millán (Ogrove, 1951 – Nova Iorque, 2002) foi docente e investigador na City University of New York.
Os seus objetos de estudo preferentes foram a narrativa de Álvaro Cunqueiro, as relações entre literatura e sociedade na Galiza contemporânea e as literaturas e culturas em situação de subalternidade.
Sobre eles publicou obras como Álvaro Cunqueiro: Os artificios da fabulación (1991), Literatura e sociedade en Galicia (1975-1990) (1994), Communication littéraire et culture en Galice (1997, escrito em colaboração com Antón Figueroa) ou Resistencia cultural e diferencia histórica: A experiencia da subalternidade (2000), conjuntamente com um abundante número de artigos, capítulos de livros e recensões.

Industrializar Galiza. Vaia uma ironia!

Aberta convocatória da XXIV Ediçom do Prémio de poesia Fiz Vergara, que nom discrimina por normativa

Disponibilizamos contributos de Luísa Villalta na Revista Agália

Séchu Sende apresenta O Povo Improvisador no CS Gomes Gaioso da Corunha

Lançamento do livro 50 anos de Abril na Galiza, na Guarda

Sergio Rey, do IES de Cacheiras, ganha o “I Prêmio Escolar Internacional de Livros de Cordel”

Industrializar Galiza. Vaia uma ironia!

Aberta convocatória da XXIV Ediçom do Prémio de poesia Fiz Vergara, que nom discrimina por normativa

Disponibilizamos contributos de Luísa Villalta na Revista Agália

Séchu Sende apresenta O Povo Improvisador no CS Gomes Gaioso da Corunha