Partilhar

Fai um match com a língua volta em julho

No passado 17 de maio a AGAL marcou presença nos atos do Dia das Letras Galegas com uma proposta de convívio, um speed dating. Depois de meses de pandemia, a associação achava necessária uma proposta que voltasse a pôr em contacto o reintegracionismo com o público.

Vero Torrijos

O evento, Fai um match com a língua, decorreu durante a manifestação pela língua. Foi desenvolvido fundamentalmente em dois espaços: o coreto do Parque da Alameda e as arcadas do Museu das Peregrinações. Um total de 16 pessoas associadas voluntárias tiveram conversas três minutos de duração com pessoas que desconheciam, onde explicaram o que é o reintegracionismo a quem quiser se aproximar.

Um total de 16 pessoas associadas voluntárias tiveram conversas três minutos de duração com pessoas que desconheciam, onde explicaram o que é o reintegracionismo a quem quiser se aproximar.

No final da atividade a AGAL disponibilizava um pequeno formulário de avaliação e inscrição, graças ao qual será aumentado o tecido associativo.

A coordenadora da atividade, Carme Saborido salientou “a boa disposição das pessoas voluntárias assim como o interesse manifesto por parte de quem participou na atividade como público”.

Dado o grande apoio recebido e a aprendizagem adquirida nesta primeira experiência, a AGAL tenciona repetir a atividade durante o 25 de julho. Esta atividade faz parte do projeto “Novo ensino para o galego” subvencionado pola Deputación da Coruña.

 

 

 

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo

Crianças homenageiam Rosalia de Castro este sábado em Outeiro de Rei

Conversa arredor da obra “Porque caiu a Galiza” de José Manuel Barbosa em Carvalho

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo