Eduardo Maragoto anuncia candidatura para o Conselho da AGAL

Encabeçará umha equipa que se apresenta sob o lema 'Polo Novo Consenso'



Eduardo_S_MaragotoEduardo Sanches Maragoto apresenta candidatura ao Conselho da Associaçom Galega da Língua (AGAL) para as eleições do vindouro 24 de outubro. Sob o lema ‘Polo Novo Consenso’, Maragoto encabeçará umha renovada equipa com pessoas de diferentes perfis profissionais e ricas trajetórias no tecido associativo galego.

Eduardo Maragoto, membro do atual Conselho da AGAL e professor de Português na Escola Oficial de Idiomas de Compostela, será o candidato de ‘Polo Novo Consenso’ à Presidência da associaçom. Com o intuito de dar um passo à frente para continuar o trabalho da diretiva sainte, acompanharám-no:

  • Carlos Quiroga (vice-presidente), professor da Universidade de Santiago de Compostela
  • Eliseu Mera (secretário), professor de Música no ensino secundário
  • José Calleja (tesoureiro), divulgador da cultura e natureza da Límia
  • Susana Arins (vogal), poeta e professora no ensino secundário
  • Jon Amil (vogal), graduado em Medicina
  • Ricardo Gil (vogal), diplomado em Enfermagem e licenciado em Psicologia
  • Xico Bugueiro (vogal), tesoureiro do atual Conselho da AGAL

polonovoconsenso - com letraEsta candidatura apresenta-se com duas linhas programáticas que serám preenchidas, polos associados e associadas que quigerem co-participar na elaboraçom do programa. O processo participativo está acessível no site da candidatura (http://polonovoconsenso.agal-gz.org) até a apresentaçom do programa oficial no dia 18 de outubro. As ditas linhas som:

  1. O desenvolvimento da Lei para o aproveitamento da língua portuguesa e vínculos com a Lusofonia (Lei Paz Andrade).
  2. O fomento do reconhecimento entre identidade galega e reintegracionismo.

Para avançar com ambas as linhas programáticas, a candidatura ‘Polo Novo Consenso’ pretende fomentar a colaboraçom do/com o conjunto da sociedade, tecendo redes que facilitem a penetraçom da ideia de comunidade galego-portuguesa, nomeadamente através da implementaçom de projetos que permitam explorar ao máximo a dita lei, tanto no que di respeito à promoçom do português no ensino como no campo das relações galego-portuguesas no ámbito comunicativo, social e institucional.

Para além destas linhas programáticas, esta candidatura também vai submeter a consulta a otimizaçom das duas tradições gráficas que convivem no reintegracionismo, para saber se é considerado conveniente avançar para umha norma unitária que as aglutine.


PUBLICIDADE