Partilhar

Documentário ‘Em Companhia da Morte’ já pode ser assistido gratuitamente na Internet

Na véspera de Santos, o coletivo Filmes de Bonaval disponibiliza gratuitamente na rede o documentário Em Companhia da Morte. Este trabalho, apresentado publicamente há dous anos e meio, foi filmado na freguesia de Castro-Laboreiro (Melgaço-Portugal) por Vanessa Vila Verde, João Aveledo, e Eduardo Maragoto.

Em Companhia da Morte trata da estreita relaçom que se estabelece entre dous elementos que formam parte indissolúvel do processo vital da existência e natureza humanas, a vida e a morte. Todo isto narrado através de historias inquietantes que se desenvolvem longe das sociedades atuais mais urbanizadas, lá polas montanhas, como neste caso, as filmadas em Castro Laboreiro.

Embora o documentário poda ser assistido agora gratuitamente na internet (ou sob estas linhas), a versom original, em alta qualidade e conteúdos extras, ainda se pode conseguir na loja on-line Imperdível.

Tratar de tu a morte

Fotograma do documentário
Fotograma do documentário

Enquanto nas sociedades atuais a morte é esquecida, ocultada e distanciada dos avatares diários, enclausurada nos hospitais e tanatórios, nestas sociedades rurais e de montanha, algumhas pessoas tratam a morte de tu, e criam figuras e sinais para fazê-la compreensível às famílias que cá moram e desenvolvem sua quotidianidade, assim mesmo mitigar os temores que ela produz.

Umha dessas figuras é o acompanhamento, um dos nomes populares dum mito que na Galiza conhecemos como “Santa Companha”, ou as candeias e estântegas, anunciadoras, todas elas, da morte.

As protagonistas deste filme e que relatam estas histórias parecem andar muito longe da nossa realidade, mas na vida diaria, nas moradas das famílias que moram nestes entornos de montanha, estám muito presentes através das mulheres de preto que a fogem, mas também a convocam para contatar com ela tratando-a de tu.

Aspetos técnicos:

João Aveledo, Vanessa Vila Verde e Eduardo Maragoto
João Aveledo, Vanessa Vila Verde e Eduardo Maragoto
  • É uma produçom da Galiza, 2011. Documentário de 29 minutos, cor, 16/9 – extras 1
  • Fotografia: Eduardo Irago
  • Montagem documentário: Ramiro Ledo
  • Montagem extras: João Aveledo
  • Design: Manuel Pintor Vigo
  • Web designer: Eugénio Lojo
  • Música: Letters Home( The Sea and The Bells, Rachel’s, 1996), La Perruche et le President (Locomo, Gwendal, 1983)
  • Extras: Viagem a Castro Laboreiro/ Bruxedos e outras estórias/ Acompanhamento/ Estântegas/ Candeias/ Sinais/ Religiosidade e ritos fúnebres/ A cultura da morte do lado galego/ Entrevista ao padre César Maciel/ Entrevista a Marcial Gondar
  • Site: filmesdebonaval.agal-gz.org

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”