Partilhar

Campanha em defesa da língua de Galiza Nova trata a intercompreensom com o Brasil

A organizaçom juvenil nacionalista Galiza Nova suma cinco vídeos curtos dentro da campanha “O galego vai contigo”.

A campanha foi feita nas duas normas ortográficas, e um dos eixos discursivos da proposta fai fincapé na importáncia do marco da lusofonia.

Nesta linha, o último vídeo foca na comunicaçom com as pessoas do Brasil:

Na campanha, a organizaçom juvenil explica que: “se falar galego era motivo de puniçom durante o franquismo, é entendível que as geraçons passadas, num intento de oferecer um futuro melhor às seguintes, optassem polo castelhano, a língua de prestígio, para educar as filhas; se essas filhas se criárom em castelhano e tivérom que ir para a cidade na procura de trabalho, onde coincidirom com outras pessoas com histórias equivalentes, é entendível que a sua língua habitual seja essa e as novas geraçons medremos de costas ao galego.”
A partir desta compreensom da situaçom, a proposta é reverter o processo: “este processo de substituiçom linguística leva séculos em marcha e tem aliados nos poderes económicos e políticos, mas, como mocidade que conhecemos a nossa história, queremos reverter o processo e manter a nossa língua e cultura.”

Lançamento do livro A Abolição do género para a sua expansão em Compostela

Clara Corbelhe lança coleção de Ensaio Crítico Galego em parceria com a editora Laiovento

Sara Rodríguez: “A sobrevivência do galego no Bierzo depende dum trabalho coletivo”

Estudantes de Outes trabalham sobre as ligações de Fernando Pessoa com a Galiza

Escolas de Ensino Galego Semente lançam primeiro acampamento nacional para crianças e adolescentes

Lançamento do livro Johán Vicente Viqueira / João Vicente Biqueira (1924-2024). Poemas e ensaios em Bandeira

Lançamento do livro A Abolição do género para a sua expansão em Compostela

Clara Corbelhe lança coleção de Ensaio Crítico Galego em parceria com a editora Laiovento

Sara Rodríguez: “A sobrevivência do galego no Bierzo depende dum trabalho coletivo”

Estudantes de Outes trabalham sobre as ligações de Fernando Pessoa com a Galiza