Partilhar

AGAL anuncia Leitura Continuada do Ensaio sobre a Cegueira em dezembro

A Associaçom Galega da Língua (AGAL) anuncia que está aberta a inscrição para homenagear a figura do Nobel português José Saramago com uma leitura continuada do Ensaio sobre a Cegueira no dia dezassete de dezembro.

José Saramago no congresso da AGAL de 1987.

A associaçom decide assim aproveitar a experiência acumulada na leitura pública que no ano passado organizou em homenagem a Carvalho Calero, mas este ano por ocasiom do centenário do nascimento de um dos autores mais lidos na nossa língua.

O evento dará começo no Centro Galego de Arte Contemporânea (CGAC) de Santiago de Compostela às 9h30 e irá prolongar-se até às 23h30 do dia 17 de dezembro, sábado. Ao longo de todo o dia irám passando polo auditório do CGAC as dezenas pessoas precisas para completar a leitura das mais de trezentas páginas do romance, sendo que as leituras mais esperadas, de figuras vinculadas às instituições, às letras ou à própria família de Saramago, acontecerá por volta das 12h do meio-dia.

A leitura poderá realizar-se nos diferentes sotaques galego-portugueses. Para facilitar a leitura com pronúncia galega, a AGAL disponibilizará material de ajuda em formato audiovisual.

A leitura poderá realizar-se nos diferentes sotaques galego-portugueses. Para facilitar a leitura com pronúncia galega, a AGAL disponibilizará material de ajuda em formato audiovisual.

A obra, o autor e o espaço

Nem o autor nem a obra nem o espaço para realizar o evento fôrom escolhidos à toa.

O Ensaio sobre a Cegueira é um dos livros mais lidos de Saramago na Galiza, pois a sua publicaçom três anos anterior ao Nobel foi considerada por muitas pessoas determinante para a receçom do prémio. Mas, para além disso, acabados de sair de uma pandemia, esta é uma obra que nos convida a refletir com toda a crueza sobre situações que podem alterar completamente as nossas vidas, provocando até o colapso das estruturas sociais.

Saramago, para além de um dos autores mais lidos na nossa língua, vinculou-se à Galiza em várias ocasiões, uma delas através da própria Associaçom Galega da Língua (AGAL), pois ele chegou a participar fisicamente num dos seus congressos. Ainda, trata-se de um autor mui lembrado em Santiago de Compostela, onde recebeu o primeiro prémio após o Nobel, o São Clemente, por parte dos alunos e alunas do Instituto Rosalia de Castro.

Por sua vez, em relaçom ao espaço escolhido, o Centro Galego de Arte Contemporânea é um dos símbolos da união galego-portuguesa através do seu arquiteto Álvaro Siza.

Presente

Com a participaçom na leitura continuada obterás de prémio uma camisola/t-shirt editada exclusivamente para esta homenagem, com o mesmo slogan usado para a divulgaçom deste que é um dos romances mais lidos de Saramago: “Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara”.

Como participar? Basta inscrever-se aqui.

O evento conta com o apoio da Secretaría Xeral de Política Lingüística e do Concelho de Santiago de Compostela, como também do CGAC e da Fundação Saramago.

 

A Mesa tramitou mais de um milhar de expedientes em 2023

Areias de Portonovo, uma jornada atlântica da Galiza ao Brasil

A USC comemora os 50 anos da revolução de 25 de Abril que deu início à democracia contemporânea em Portugal

Sónia Engroba: ‘Não somos conscientes nem conhecedores do poder da nossa própria língua’

Novidades Através: 50 anos de Abril na Galiza

Lançamento do livro González-Millán, a projeção de um pensamento crítico, em Braga

A Mesa tramitou mais de um milhar de expedientes em 2023

Areias de Portonovo, uma jornada atlântica da Galiza ao Brasil

A USC comemora os 50 anos da revolução de 25 de Abril que deu início à democracia contemporânea em Portugal

Sónia Engroba: ‘Não somos conscientes nem conhecedores do poder da nossa própria língua’