Partilhar

A Ukestra do Medio abre o 1º Potemfest em Compostela

Este sábado, o Festival dos Estúdios Potemkin, Potemfest, decorrerá no compostelano Polígono do Tambre. A mesma banda, estará no domingo em Bertamiráns, no Pub O Transistor, a apresentar “Histórias cativas”, o terceiro disco da Ukestra do Medio.

A banda de ukuleles de Compostela apresenta seis temas próprios acompanhados de duas versões com as que continuam a construir um estilo ao que já apontavam no seu anterior disco: influências de diferentes formas da música popular do século XX como o country, pop, surf ou swing levadas ao seu terreno com instrumentos singelos como som os ukuleles, baixo e cajón combinados ou acompanhados por outros como a tábua de lavar, o güiro ou o xilofone. Um compêndio de instrumentos miúdos através dos quais marcam o ritmo de pequenas histórias sobre o amor (“Imitación á vida”), as expectativas truncadas (“Promesas”)
os tempos passados (“Onde vam?”) ou vidas desgraçadas (“Vendeu-no Todo”). Letras graves, às vezes, que contrastam coa frescura do som dos ukeleles.
Homenageiam a Ricardo Carvalho Calero musicando o seu poema “Tanto se Amavam” e incluem duas versões bem diferentes: “Five Foot Two, Eyes of Blue”, um clássico do swing-jazz da década dos ’20 do passado século e “Sonhos”, tema dos Ruxe Ruxe que também incluirom no tributo à banda de

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”