Partilhar

A Magia da Aldeia Presépio (Piódão)

aldeia-presepioApelidada de aldeia presépio, Piódão é uma aldeia mística e acolhedora localizada no fundo dos vales da Serra do Açor, pertence ao Município de Arganil, com forte presença de xisto nas casas e nas suas estreitas ruas, Piódão é um sítio mágico para explorar cada detalhe e cada canto tem uma história para contar.

Contém cerca 120 habitantes, maioritariamente idosos, onde o trabalho atualmente tem mais foco na agricultura, na pastorícia e nomeadamente no turismo, devido à sua forte exposição e ao facto de esta aldeia estar inserida numa rede de Aldeias Históricas de Portugal, promovida pelas entidades turísticas do país, conseguindo assim atrair um grande número de turistas.

Desde muitos séculos atrás que a localidade atrai pastores da região, especialmente lusitanos, e aos poucos foi-se desenvolvendo até se formar uma povoação medieval, era designada de “Casal Piodam”. Já posteriormente a povoação foi transferida para onde atualmente se localiza, talvez devido à construção de um Mosteiro Cister, do qual não restam vestígios, que remonta este lugar para o século XIII Devido à sua localização escondida, o lugar outrora foi um abrigo perfeito para os foragidos da Justiça, onde se reza a lenda, um dos assassinos de D. Inês de Castro terá se escondido nesta aldeia, no século XIV. Outras curiosidades desta aldeia, é o facto de todas as casas terem as portas e as janelas de cor azul, porque conta-se que a única loja da aldeia só tinha tinta de cor azul e devido ao isolamento desta dificultava a deslocação da população a outra localidade e devido a este isolamento, a preservação é notável nas características intactas desta povoação. Todas as portas têm cruzes, onde se diz que é para afastar os maus espíritos e as más tempestades.

Devido à sua localização escondida, o lugar outrora foi um abrigo perfeito para os foragidos da Justiça, onde se reza a lenda, um dos assassinos de D. Inês de Castro terá se escondido nesta aldeia, no século XIV.

aldeia-presepio02Em relação à sua paisagem, a localidade tem muito para mostrar a quem a visita, situada num vale serrado e profundo, parece uma aldeia de brincar vista do cimo da serra. Passa uma ribeira por baixo da aldeia, onde construída pela mão humana, foi feita uma piscina e uma praia fluvial, permitindo assim qualquer pessoa que se refresca, especialmente na época de verão. Como está localizada num vale profunda da serra, os grandes montes rodeiam a localidade, fazendo com que o visitante se sinta num lugar único e muito diferente de outros lugares. A cor verde é quem reina no lugar e durante as estações do ano, é visível a diferença da cor das folhas das árvores e da pastagem, e apesar da sua localização ingreme na costa da serra, esta permite oferecer uma magnifica vista do redor da aldeia para os montes da majestosa Serra do Açor. O Sol apanha a aldeia durante algumas horas do dia devido ao vale profundo, mas não deixa de convidar os visitantes, em época de calor, a refrescar seja na piscina ou na ribeira.

O que ver

Nesta aldeia é possível visitar vários monumentos, miradouros e edifícios únicos que nos remetem para outros tempos mais simples e também difíceis, no qual a população desta aldeia durante muitas gerações teve que enfrentar para se conseguir sobreviver.

Partilho neste artigo, 4 dos mais emblemáticos e importantes sítios da aldeia que merecem ser visitados e que nos deixam uma recordação do que é a magia desta aldeia e a sua simplicidade.

Capela das Almas

aldeia-presepio05Fundada no século XVIII e remodelada posteriormente no século XX, esta capela teve como função uma capela mortuária da aldeia e também das aldeias vizinhas, contém um retábulo em madeira que tem uma simples pintura que representa as Almas do Purgatório. Fica situada mais acima da aldeia, onde se pode usufruir da vista da aldeia e também da vista ao redor das encostas da Serra do Açor.

Capela de São Pedro

Esta capela fica situada no centro da aldeia, rodeada pelas belíssimas casas de cisto e das suas ruas estreitas, é uma capela que contém um traço simples no seu interior. Onde acolhe uma imagem de São Pedro, uma escultura proveniente do século XVI.

Igreja Matriz

Construída no século XVII, provou-se que antes da sua construção originalmente existia um templo mais antigo. Sofreu várias obras ao longo dos anos, especialmente no século XVIII, onde levou uma ampliação do espaço e uma remodelação entre 1898 e 1900 devido ao seu mau estado de conservação.

Eira

aldeia-presepio08Este sítio fica situado por cima da aldeia, e era usado para secar e malhar os cereais que eram colhidos como o centeio e também legumes como o feijão. A partir deste sítio é possível admirar uma magnifica vista da região envolvente e da natureza, juntamente com um postal que a aldeia traz para esta paisagem única e interessante.

Onde comer

Numa visita a um lugar é indispensável provar a gastronomia local a um restaurante típico da localidade, deste modo, apresento 1 restaurante para usufruir da comida típica.

O Fontinha

aldeia-presepio07Este restaurante aberto desde o ano de 1989 e remodelado em 2012, localizado no interior da aldeia, serve vários pratos típicos da região entre eles, a Chanfana Assada no forno a lenha, trutas grelhadas, bucho de porco e etc.

Em relação a dormidas, existe várias casas de alojamento como a “Casa da Pradaria”, “Story Studio Piódão” e o Hotel Inatel de Piódão, recentemente construído, onde reserva uma fantástica vista para a aldeia de Piódão.

Opinião

O turismo durante muito tempo dedicou-se mais às grandes cidades ou melhor, aos sítios mais famosos e massificados e ultimamente, a situação começou-se a reverter. Os turistas hoje em dia preferem a natureza, a experiência única e os lugares menos massificados e até isolados de tudo e de todos.

Esta aldeia, é o exemplo perfeito de que o turismo é possível fazer sem danificar e massificar o sítio, e por isso recomendo esta localidade para ser visitada e desfrutada da melhor maneira possível. Existe um pouco de “tudo” nesta aldeia, que remete para outros tempos diferentes e mágicos e permite experienciar o que é estar num sítio isolado e situado num vale com umas das melhores vistas do país.

Para terminar, penso que esta viagem a esta aldeia deva ser usufruída durante alguns dias para o visitante se assentar e poder explorar cada canto do lugar e se desfrutar do que a natureza e a aldeia têm para oferecer, seja hospedado num alojamento local ou num hotel de maior qualidade.

Lançamento do livro A Abolição do género para a sua expansão em Compostela

Clara Corbelhe lança coleção de Ensaio Crítico Galego em parceria com a editora Laiovento

Sara Rodríguez: “A sobrevivência do galego no Bierzo depende dum trabalho coletivo”

Estudantes de Outes trabalham sobre as ligações de Fernando Pessoa com a Galiza

Escolas de Ensino Galego Semente lançam primeiro acampamento nacional para crianças e adolescentes

Lançamento do livro Johán Vicente Viqueira / João Vicente Biqueira (1924-2024). Poemas e ensaios em Bandeira

Lançamento do livro A Abolição do género para a sua expansão em Compostela

Clara Corbelhe lança coleção de Ensaio Crítico Galego em parceria com a editora Laiovento

Sara Rodríguez: “A sobrevivência do galego no Bierzo depende dum trabalho coletivo”

Estudantes de Outes trabalham sobre as ligações de Fernando Pessoa com a Galiza