Últimos dias para participar no concurso de recolha de toponímia oral no Berzo



Restam já poucos dias para participar no Concurso de Recolha de Toponímia Oral na Comarca do Berzo. Até 15 de outubro será possível enviar trabalhos para este certame, organizado por El Teixu, Rede pal Estudiu y Defensa de la Llingua Asturllionesa, com a colaboraçom do Instituto de Estudios Bercianos, e o apoio das associaçons Faceira, Fala Ceibe e o Colectivo Cultural “La Iguiada”. O certame premiará a investigaçom sobre a toponímia tradicional da comarca berciana.

Cada participante pode apresentar um ou vários trabalhos, cada um deles circunscrito a umha única povoaçom. Deverá recolher o máximo possível de topónimos: nomes de lugares e casas, rios e lagoas, montes e acidentes orográficos, prados, caminhos ou fontes, entre outras possibilidadades. Seja como for, os topónimos devem ser recolhidos oralmente entre a populaçom do termo e nom serám aceites variantes «artificiosas ou que só sejam de tipo documentário ou administrativo», assinalam da organizaçom.

As descrições de topónimos e a informaçom adicional, que podem estar redigidas em qualquer umha das línguas do Berzo —galego-português, asturo-leonês ou castelhano—, serám entregues antes de 15 de outubro de 2014, indicando “Concurso de Recolha Toponímica”, e incluindo em página à parte os dados pessoais do autor, por correio eletrónico a info.elteixu[arroba]gmail.com ou por correio postal a: El Teixu, Rede pal Estudiu y Defensa de la Llingua Asturllionesa. Calle Teleno, 3 – 2º. 24350 Veguellina (Leom).

Um júri formado por três pessoas, escolhidas entre membros de El Teixu, expertos em lingüística e geografia e estudiosos do Berzo —que nom conhecerám a autoria dos trabalhos—, outorbará antes de 31 de dezembro um único prémio: um diploma e um lote de livros de temática berciana e asturo-leonesa. O júri pode estabelecer até três accessit, que receberám também livros como prémio.

Vai valorar-se positivamente a inclusom de fotografias e mapas que permitam a identificaçom e localizaçom dos topónimos. Igualmente, os trabalhos podem incluir material adicional sobre história, geografia, etnografia e vocabulário do termo em questom, assim como gravações ou material audiovisual.

Com esta campanha, El Teixu visa «pôr em valor o património que representa a riqueza toponímica», que, esquecida pola administraçom, ainda permanece viva na comarca, «como umha mostra mais da cultura berciana que se expressa em galego-português e em asturo-leonês». A toponímia tradicional, assinalam, «é um tesouro de valor incalculável, que é preciso recolher antes que desapareça».

 


PUBLICIDADE