Partilhar

Novo romance de Samuel F. Pimenta sobre o mito da fundação de Lisboa chega às livrarias em novembro

O novo livro de Samuel F. Pimenta, Ophiussa, chega às livrarias em novembro. Neste novo romance mitológico, publicado sob a chancela da Edições Mahatma, o autor revisita o mito da fundação de Lisboa e das suas sete colinas, a partir da tradição oral lisboeta.

Ophiussa tem apresentação agendada para 2 de novembro, na FNAC Chiado, em Lisboa, pelas 18h30, e será apresentado por Sofia Batalha, autora e oradora, e pela actriz Inês Oneto.

“Até aos dias de hoje, em Lisboa, continua a ser narrado o encontro entre Ophiussa, uma deusa e rainha metade mulher, metade serpente, e Ulisses, o famoso herói da Odisseia. Mas sempre me incomodou que, nesta história, tenha sido privilegiado o olhar de Ulisses, a quem foi atribuída a fundação da cidade de Lisboa, como se as pessoas que já cá viviam antes de ele chegar não tivessem relevância. E foi precisamente nisso que me centrei ao escrever este livro. ‘Ophiussa’ é uma versão do mito sob o olhar de quem já cá estava a viver e viu o seu modo de vida ameaçado com a chegada da barca de Ulisses e dos deuses olímpicos. Além disso, é também um exercício de reflexão sobre os primórdios do patriarcado e de como sociedades governadas por mulheres, num tempo em que a humanidade ainda cultuava a Deusa, se tornaram reféns de novos deuses e dos seus heróis. À semelhança de outros mitos mundialmente conhecidos, em que deuses ou heróis masculinos usurpam o poder às deusas, ou até as matam, o mito de Lisboa também é um excelente testemunho para a compreensão dessa transição histórica, que nos afecta até aos dias de hoje”, diz Samuel F. Pimenta.

Samuel F. Pimenta é poeta e escritor, tem 32 anos e este é o seu oitavo livro publicado. Nasceu em Alcanhões, Santarém, começou a escrever com 10 anos e licenciou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Com o seu último livro, Ascensão da Água, ganhou o Prémio Literário Cidade de Almada 2019.

Samuel F. Pimenta é poeta e escritor, tem 32 anos e este é o seu oitavo livro publicado. Nasceu em Alcanhões, Santarém, começou a escrever com 10 anos e licenciou-se em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Com o seu último livro, Ascensão da Água, ganhou o Prémio Literário Cidade de Almada 2019.

Está presente em colectâneas, antologias e outras obras colectivas, em Portugal e no estrangeiro, e tem participado em diversas conferências e em encontros literários nacionais e internacionais. Em 2016 representou Portugal no International Young Poets Meeting, em Istambul, Turquia. Alguns dos seus livros deram origem a peças de teatro e teses académicas. Tem vindo a colaborar com publicações em Portugal, no Brasil, em Angola, em Moçambique e na Galiza, entre as quais o jornal Público, a Revista Gerador, a Revista Caliban e o PGL – Portal Galego da Língua.

São vários os prémios que lhe têm sido atribuídos, como o Prémio Jovens Criadores 2012 (Portugal), a Comenda Luís Vaz de Camões 2014 (Brasil) e o Prémio Liberdade de Expressão 2014 (Brasil). Em 2015, foi um dos vencedores das Bolsas Jovens Criadores, do Centro Nacional de Cultura. Em 2016, com o livro Ágora, ganhou o IV Prémio Literário Glória de Sant’Anna, galardão anual destinado ao melhor livro de poesia dos países e regiões de língua portuguesa.

Neste momento, integra diversas associações e colectivos, como o PEN Clube Português, a Academia Galega da Língua Portuguesa e o colectivoPROMETEU. Além da literatura, faz collage e dedica-se à promoção dos direitos LGBTI+, dos direitos humanos e dos direitos da Terra.

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”

Lançamento do livro 50 anos de Abril na Galiza, no Festigal, o 25J em Compostela

Scarpaccia de cabacinha

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”