Nasce a revista “Clara Corbelhe”



web-clara-corbelheA publicaçom que saia à luz há algumhas semanas através das redes sociais, apresenta-se como um espaço para “co-construir ferramentas de conhecimento, análise e intervenção desde um lugar de enunciação que, suspeitamos, temos de erguer. Um lugar que desassossegue relações e arquivos, para armar desde o materialismo e a autonomia crítica uns estudos emancipatórios galegos.”

Clara Corbelhe será umha revista em papel, com periodicidade anual arredor dum tema monográfico. Mas nom só: Como “espaço”, segundo aclaram no seu site “busca situar-se no cruzamento entre a produção teórico-crítica e a intervenção social, e entre o trabalho intelectual-cultural e a experimentação política prática. Neste objetivo são postos em andamento por meio de diversos formatos (publicações, debates, cursos, conferências, programas de estudos, etc.) projetos de investigação e formação a articular uns estudos emancipatórios galegos no objetivo de abrirmos novos vieiros para o pensamento crítico galego e possibilitar outros circuitos de saberes.”

“São postos em andamento por meio de diversos formatos (publicações, debates, cursos, conferências, programas de estudos, etc.) projetos de investigação e formação a articular uns estudos emancipatórios galegos no objetivo de abrirmos novos vieiros para o pensamento crítico galego e possibilitar outros circuitos de saberes.”

Toda a comunicaçom do projeto usa com naturalidade o galego internacional em Acordo Ortográfico. O conselho de redaçom é um grupo heterogéneo em disciplinas e geraçons e está formado por Xabier Buxeiro, César Caramês, Borxa Colmenero, Daniela Ferrández, Sabela Fraga, Xandre Garrido, Helena Miguélez, Javier de Pablo, Alberte Pagán, Pedro M. Rei Araujo, Xabier Sánchez Pazos e Antom Santos. Também com um conselho editorial amplo, cuja equipa completa se pode consultar aqui.

O primeiro número, de 100 páginas, que se lançará em dezembro leva por título:

 
capa-clara-corbelhe-1#1 Poder e colonialidades: Espanha na Galiza de hoje
Neste número monográfico inaugural preguntamos «Quais são as faces da Espanha na Galiza de hoje?». Propomos uma reflexão coral sobre as manifestações dum poder que esfarelou, despojou e danou entre nós quanto lhe foi possível, em nome da ideologia do progresso e da harmonia homogeneizadora. Os trabalhos incluídos abordam as perspectivas historiográfica, social e cultural, afinando o olhar em temáticas pouco tratadas no âmbito galego como o disciplinamento dos corpos, os hábitos de consumo e do lazer, o poder das redes de clientelismo, a ordenação do espaço e a biopolítica. Neste número inaugural da revista Clara Corbelhe, turramos pola ampliação do campo de inteleção duma crítica nacional galega, onde falar de colonialidades não seja um registo censurado.

A subscriçom à revista é de 10€ anuais, e por 60 euros pode-se fazer parte do projeto, o qual inclui uma cópia da revista impressa e a participaçom gratuita em todas as atividades que organize o Espaço Clara Corbelhe. Estas incluem o congresso anual do Espaço Clara Corbelhe, onde se lhes dará continuidade às temáticas abertas com cada número monográfico da revista. Para associar-se ao projeto ou comprar a revista, aqui.


PUBLICIDADE

  • ernestovazquezsouza

    Carambas… que nivelazo…

    Sorte com esse projeto.