Partilhar

Lançamento da antologia em língua portuguesa “A boca no ouvido de alguémde Tiago Alves na Corunha

A próxima terça-feira, dia 21 de março no local da Asociación Cultural Alexandre Bóveda (Rua Santo André, nº36, 1º andar) apresentara-se a última novidade da Através Editora. Umha coletánea na que participam mais de quarenta poetas de Angola, Moçambique, Brasil, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Portugal e Galiza.

A presente antologia de poesia “A Boca no Ouvido de Alguém” é motivada pela vontade de unir desde a Galiza as linhas criadoras que se fazem atualmente no mapa dialogante e de afetos da(s) lusofonia(s). Representa a urgência de deixar-se levar pela correnteza das línguas, do vigor dos corpos-matéria, das pluralidades identitárias, e, tecer este tronco comum galego-lusófono, por vezes tão distante um do outro.

Assim, Tiago Alves seleciona um conjunto de poetas com data de nascimento a partir do ano de 1975, época de grandes mudanças políticas e sociais, e cuja proveniência fossem da Galiza, Brasil, Moçambique, Portugal, Angola, Guiné-Bissau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe; vozes, que além de possibilitarem não só novas formas de perceber o tempo que nos tocou viver, também nos desvelassem a multiplicidade potenciadora da expansão do indivíduo e das sociedades que integram; a poesia entendida como exercício de penetração na realidade, afirmando-se como uma nova fonte emocional e dissolvente de ideias, amplificando singularidades. De igual modo, este projeto visa também despertar uma visão diferente da(s) lusofonia(s). Porque partindo desde a Galiza a visão tem de ser obviamente outra, capaz de descentralizar, mas também sendo inclusiva e afectiva, provocando transgressões, fissuras, produzindo novas éticas, que nos retirem da repetição, de atitudes e significações.

Este projeto visa também despertar uma visão diferente da(s) lusofonia(s). Porque partindo desde a Galiza a visão tem de ser obviamente outra, capaz de descentralizar, mas também sendo inclusiva e afectiva, provocando transgressões, fissuras, produzindo novas éticas, que nos retirem da repetição, de atitudes e significações.

De Angola participam Cíntia Gonçalves, Emanuel Vieira Cambulo Ema Nzadi, Ernesto Daniel, Hélder Simbad. De Moçambique: Álvaro Taruma, David Bene, Énia Lipanga, Hera de Jesus e Hirondina Joshua. De São Tomé e Príncipe: Aoani D`Alva, Goretti Pina, Orlando Piedade e Romana Brandão. De Cabo Verde: Andreia Tavares Sousa, Irlando Ferreira, Mário Loff, Paulu Salmoura, Rony Moreira e Valódia Monteiro.

Da Guiné-Bissau: Dautarin da Costa, Emilio Tavares Lima e Jaime José Nhate. Do Brasil: Ana Estaregui, Francesca Cricelli , Carla Carbatti (natural de Belo Horizonte mas na atualidade vizinha de Compostela, na Galiza), Manuella Bezerra ,Michaela Schmaedel, Otávio Campos, Raquel Gaio e Sofia Ferrés. De Portugal: André Osório, Filipa Leal, José Oliveira Pinto, Luiza Nunes, Minês Castanheira, Pedro Eiras, Samuel F. Pimenta. E finalmente, da Galiza Alexandre Brea Rodriguez, Charo Lopes , Maria Castelo, Paulo Fernandes Mirás , Uxio Outeiro e Verónica Martinez Delgado.

foto de Distrito Xermar

Tiago Alves Costa [Vila Nova de Famalicão, 1980]. Poeta, dramaturgo e tradutor cujas obras foram publicadas na Galiza, Portugal e Brasil. O seu último livro, “Žižek vai ao Ginásio”, foi publicado pela Através Editora [Galiza] e Macondo Edições [Brasil]. Os seus poemas fazem parte de várias antologias, incluindo “World Anthology Border: Blurred & Political” [University of Victoria, Canadá, 2021] e “Antología de Poesía Iberoamericana Actual” [Exlibric, Espanha, 2018]. O seu conto “A Porta do Reconhecimento” foi premiado na 27ª edição do Prémio Manuel Murguia de Narrativas Curtas. Escreve textos e adaptações para teatro, como “Cubo” produzido pela Companhia de Teatro Elefante Elegante [obra nalista dos XXVI Prémios de Teatro Maria Casares] e a obra “Revolution”. É co-diretor da revista digital “Palavra Comum” e membro do conselho editorial da revista moçambicana de artes e letras “Kilimar”. É o primeiro português a ser membro da Associação de Escritores e Escritoras em Língua Galega. Licenciou-se em Comunicação e Publicidade e tem uma pós-graduação em Criatividade e Inovação pela Tompkins Cortland Community College [EUA].

Aberto prazo de pré-inscrições para os cursos aPorto 2024

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Aberto prazo de pré-inscrições para os cursos aPorto 2024

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico