Galiza amplia laços com a fala portuguesa com a estreia da iniciativa Rádio Pessoas

O projeto, com conteúdos digitais, fai parte da Rede de GaliLusofonia



radio-pessoasO canal de comunicaçom Rádio Pessoas -no ar desde há poucas semanas- nasceu para dar voz à comunidade lusófona a nível internacional e incluiu Galiza como um dos territórios com principal protagonismo. O país figura como criador e destinatário das músicas e conteúdos culturais com outras regions do mundo com presença do idioma português como Brasil, Cabo Verde, Angola, Timor-Leste, Moçambique e o próprio Portugal, entre outras e conecta com esse mundo através dum conjunto de 50 colaboradores.

Através desta iniciativa, que fai parte da Rede da GaliLusofonia, Galiza amplia os laços com a fala do país vizinho, algo que o diretor-geral da iniciativa, Eron Quintiliano, considera totalmente normal e mesmo lógico. “Levamos nove meses com o projeto e temos e teremos programas e músicas de todos os países de fala portuguesa; incluímos Galiza pola relaçom histórica da língua galaico-portuguesa”, assinala.

Do seu ponto de vista, apesar de em Rádio Pessoas estarem representados territórios tam afastados como o país e São Tomé e Príncipe, por exemplo, acredita que o público detetará os pontos em comum.

“Portugal e Galiza é umha só cousa, nom fazemos diferença: temos umha cultura, um clima e umha gastronomia semelhantes…”, reflexiona, ao tempo que destaca que no Brasil antes de “se oficializar” o português “falava-se muito galego”.

Por isso, a agenda galega das indústrias e eventos culturais e as músicas de terra terám o mesmo cabimento, de pleno direito, que propostas de Guiné-Bissau ou Angola. De facto, a rádio difundirá conteúdos especiais com o galho do Festival Maré, que decorre em Compostela do 22 ao 26 de setembro.

A agenda galega das indústrias e eventos culturais e as músicas de terra terám o mesmo cabimento, de pleno direito, que propostas de Guiné-Bissau ou Angola. De facto, a rádio difundirá conteúdos especiais com o galho do Festival Maré, que decorre em Compostela do 22 ao 26 de setembro.

 

“Do Brasil a Cabo Verde, passando pola Colômbia, Moçambique, Catalunha, Angola, Portugal ou Galiza, Maré aposta decididamente pola diversidade, a aproximaçom e intercâmbio cultural entre territórios e sociedades que partilham laços linguísticos, históricos e outros sentimentais”, di a organizaçom do certame, e algo parecido quer ser esta nova emissora que ainda nom tem dial.

Quintiliano avança que o objetivo é chegar também ao espaço tradicional deste meio (e conseguir um milhom de ouvintes diários), mas polo de agora a sua programaçom de 24 horas os sete dias da semana apenas está disponível na rede, a través da página web radiopessoas.net. Com esse alto-falante que é a rede, o país já está detrás de programas como Gotas de Galego e Grandes Vozes.

[Esta notícia foi publicada originariamente no Nós Diario]


PUBLICIDADE