Partilhar

Ensino do galego ‘O que está a faltar’: binormativismo e ensino integral de idiomas?

Charo Fernández, docente de Lingua Galega e Literatura e Língua Portuguesa no IES Maruxa Mallo de Ordes, e Rosalia F. Rial, escritora e docente de Lingua Galega e Literatura no CPI As Revoltas de Cabana de Bergantinhos, conversárom recentemente sobre a situaçom do galego e do português nas aulas e analisarom a oportunidade do ensino integral de idiomas (e mesmo de uma orientaçom binormativista) para melhorar a saúde do galego nos centros de ensino e na sociedade.

Esta conversa forma parte dunha série de conversas promovidas pola AGAL e realizadas por Nós Televisión que refletem sobre o ensino do/em galego sob o mote “Ensino do Galego. O que está a faltar?”. A iniciativa contou com o apoio económico da Deputación da Coruña.

Próximas videoconversas

Durante as próximas semanas ainda poderemos ver mais 2 videoconversas de aproximadamente meia hora cada uma para refletir sobre o ensino do galego e sobre o galego no ensino, nomeadamente sobre o que está a faltar para que este se reflita em resultados mais positivos relativamente ao uso da língua polas novas gerações.

Estas conversas em vídeo som continuidade das dezenas de entrevistas escritas que se fizérom no Portal Galego da Língua (PGL) ao longo do ano 2022, em que cada pessoa entrevistada era perguntada pola situaçom do galego na atualidade e sobre a pertinência de introduzir mudanças no currículo ou de introduzir a língua portuguesa no ensino. De facto, a maioria das pessoas que participam agora nas videoconversas já foram entrevistadas previamente na referida série de entrevistas.

Trata-se principalmente de pessoas vinculadas ao ensino, nomeadamente através das matérias de Língua e Literatura Galegas e de Língua Portuguesa no secundário, como Charo Fernández, Bernardo Penabade, Valentina Formoso e Rosalia F. Rial, embora alguns dos docentes também ocupem cargos diretivos de centros educativos, como Manuel Portas, Eliseu Mera e Rocio Candales. Participa ainda o secretário geral da Política Linguística, Valentín García.  

Ao longo desta semana serám lançados os trailers das conversas completas, que por sua vez sairám ao longo do mês de janeiro. Todas elas, junto com os seus trailers, podem ser vistas aqui.

Carme Saborido: “A leitura continuada pode ser um impulso para mais pessoas fazerem outro tipo de consumo cultural que considere a lusofonia como um meio para atingir um fim: viver em galego”

A poesia de Rosalía e Luz Pozo em japonês

Alcachofras assadas

Alexandre Banhos: “A Lei Paz-Andrade é absolutamente desconhecida da administração galega, deu pouco de sim, poderia vir a dar no futuro”

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Carme Saborido: “A leitura continuada pode ser um impulso para mais pessoas fazerem outro tipo de consumo cultural que considere a lusofonia como um meio para atingir um fim: viver em galego”

A poesia de Rosalía e Luz Pozo em japonês

Alcachofras assadas

Alexandre Banhos: “A Lei Paz-Andrade é absolutamente desconhecida da administração galega, deu pouco de sim, poderia vir a dar no futuro”