Novidades Através: ‘Dicionário Visual Através’



capa-diccionario-visual-atraves

Chega às livrarias o Dicionário Visual Através, uma ferramenta de aprendizagens para pessoas grandes e miúdas que inclui mais de 3.000 palavras. Através de 88 páginas temáticas ilustradas e legendadas, as leitoras poderão aprender conceitos na nossa língua e pôr em prática o aprendido com exercícios para cada unidade. O dicionário também conta com índice remissivo dos verbetes e chave de soluções para as atividades.

Com ilustrações de Andrea López, o Dicionário Visual contou como responsáveis para os textos com Diego Bernal, Iago Bragado, Eugénio Outeiro e Valentim Fagim. O índice da obra pode ser consultado aqui.

Quando somos crianças, aprender a usar a língua significa apoderar-se um pouco do mundo. Quando somos adultos, aprender novas formas de dizer, ou novas línguas, significa apoderar-se um pouco da nossa própria representação do mundo. Este dicionário visual foi pensado para implementar, a brincar, esses processos, tanto em crianças como em adultos. Em definitivo, o Dicionário Visual Através constitui uma potente ferramenta de aprendizagem que servirá para miúdos e graúdos, tanto a aprender a falar galego com correção, como a aprender o português como língua estrangeira.


Título: DICIONÁRIO VISUAL ATRAVÉS
Autoria: DIEGO BERNAL, IAGO BRAGADO, EUGÉNIO OUTEIRO E VALENTIM FAGIM (TEXTO) E ANDREA LÓPEZ (IMAGENS)
Género: DICIONÁRIO/MANUAL
Ano de edição: 2019
Descrição: 224 PÁGINAS, 17 X 24 CM
Encadernação: BROCHURA
Coleção: ATRAVÉS DA LÍNGUA, 23
ISBN: 978-84-16545-38-4
Capa: ANDREA LÓPEZ

Preço: 17 €


Autoria

Andrea López

Autónoma precária na procura de projetos. Mae de dous. Impaciente mas minuciosa. Trabalhei muitos anos como diagramadora mas já há tempos que som umha entusiasta aprendiz da ilustraçom. Gostaria de dispor de mais tempo para trabalhar, ler ou ir ao cinema, mas o tempo é ouro e som pobre em tempo e em ouro. Por último, som umha habitante do sul da península, agradecida mas circunstancial, e procuro o caminho que me devolva a casa. Rumo noroeste.

Diego Bernal

1982, Lugo. Mestre em Filologia Galega pola UdC e pós-graduado em Ensino do Português como Língua Segunda e Estrangeira pola Universidade Nova de Lisboa, foi bolseiro do Instituto Ramom Pinheiro, técnico de normalização linguística nas Câmaras Municipais de Monfero e Minho e professor de galego e português nas EOI Jesús Maestro de Madrid e Plasencia e Montijo na Estremadura. Leitor de galego da Junta da Galiza na Universidade do Estado do Rio de Janeiro e professor de espanhol no Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade de Lisboa, atualmente mora no Brasil onde é leitor de espanhol do MAEC-AECID na Universidade Federal de Viçosa.

Eugénio Outeiro

Nado na Ilha de Arousa (Galiza) em 1976, mas já com sete anos levado para Ponte Vedra, Eugénio Outeiro define-se como poeta, budista zen, reintegracionista e professor de português. E no entanto, ainda que essa seja a ordem da sua preferência, talvez o tempo que dedica a cada coisa esteja a pedir uma inversão completa dos termos.

Valentim Fagim

Vigo, 1971. Licenciado em Filologia Galego-Portuguesa, fundador da livraria A Palavra Perduda, é desde 2001 professor de português nas Escolas Oficiais de Idiomas. Especializado em difundir a estratégia internacional da língua galega por meio de artigos de opinião, vários projetos em formato site, ação associativa e vários livros, todos eles editados na Através | Editora: Do Ñ para o NHO galego é uma oportunidade (com José Ramom Pichel) e Quês e porquês do reintegracionismo (com vários autores). Presidente da Agal entre 2009 e 2012.

Iago Bragado


PUBLICIDADE

  • Captain Ahab

    Semelha interessante. Emporisso, na capa que amossades aparecem, a carom das imagens dos muito galegos cigarrom e mais apalpador, duas palavras que nom se atopam em nengum dicionário galego: «totós» e «pipocas». Ele-nom será «piriquitos» e mais «flocos de milho»?