Dia das Letras 2020, um repasso pola imprensa

Estas forom algumhas das iniciativas recolhidas nos meios da celebraçom deste 17 de maio



carvalho-calero-a-surrirA celebraçom do dia das Letras deste ano foi das mais inusuais e limitadas, dadas as condiçons da crise sanitária, que todas as organizaçons e as miles de pessoas que normalmente saem às ruas o 17 de maio respeitarom, por precauçom e responsabilidade coletiva, para nom pôr em risco o processo de controlo e erradicaçom da pandemia do coronavirus.

Porém, a difusom de conteúdos e atividades digitais foi a mais ingente da história, com recitais, materiais de divulgaçom e celebraçom virtual para dar a maior difusom possível tanto à língua, como em particular à figura de Carvalho Calero. Com especial releváncia da web carvalhocalero2020 em que se compilam muitas das propostas elaboradas pola AGAL em colaboraçom com o governo galego.

Repasso pola imprensa

Na imprensa escrita este 17 de maio o jornal que mais atençom prestou a Carvalho foi El Correo Gallego, levando à capa um avanço do especial Dia das Letras, umha carta do Presidente da Xunta polas Letras e umha entrevista a Maria Vitoria Carballo que nom esquiva o ostracismo de Carvalho nos últimos dez anos da vida. Também houvo colaborações de Xosé A. Perozo e Carlos Luís Rodríguez, que intitulou o artigo com o nome do documentário da AGAL emitido na noite do dia 15 “De Carballo a Carvalho”. Nas notícias, a AGAL aparece defendendo o prolongamento do Ano Carvalho 2021.

La Voz de Galicia fijo um tratamento mais pobre, com a figura de Carvalho sem praticamente destaque na capa. Nas páginas de opiniom, assinárom artigos sobre Carvalho o presidente d’A Mesa, o presidente da RAG e o presidente da AGAL, que vinculou as velhas posições de Carvalho a umha saída binormativista para o idioma. Noutras duas páginas de notícias chamadas “A Festa da Palavra” mencionam-se diferentes atividades e atos de homenagem, entre elas as organizadas pola AGAL ao abrigo do convénio com Política Linguística.

Destacárom alguns anúncios, como o do Concelho de Santiago ou o da Deputaçom de Lugo, em galego-português, recuperando frases de Carvalho.

maragoto-em-faro-de-vigo

Artigo do presidente da AGAL no Faro de Vigo.

Algumhas atividades da AGAL também merecêrom menções no Diário de Pontevedra, La Región, El Progreso ou El Faro de Vigo.

Mas a maior presença da AGAL na jornada foi na televisom. O presidente participou no Especial Carvalho Calero do programa Zig Zag que a TVG1 emitiu a partir das 15h15 e em mais um capítulo do #DígochoEu em que já tinham participado nos dias anteriores outros dous membros do Conselho da AGAL: Carme Saborido, responsável de redes, e Jon Amil, gestor de @emgalego, conta de twitter que mantivo umha grande atividade ao longo de todo o dia. Por outro lado, o documentário emitido dias antes continuou acessível no site da TVG (já agora, com a sinopse em reintegrado), onde foi um dos conteúdos mais vistos.

Ao longo da semana já tinha sido possível ouvir algumhas entrevistas a a diferentes especialistas na obra de Carvalho, nomeadamente vários agálicos. Seria no programa “Diario Cultural”.

No dia 17 também foi lançado o podcast de Laboratorio de Radio “Carvalho Calero: compromisso e resistência” em que participa o presidente da associaçom junto com alguns especialistas na figura de Carvalho.

Durante a manhã, o presidente da AGAL acompanhou um ato de Queremos Galego ao pé do busto de Dom Ricardo perto da sua casa da Carreira do Conde. Já à tarde, a convite de Política Linguística da Xunta de Galicia conectou com os centros galegos de Chile, Argentina, Venezuela, Suíza, Alemanha e Espanha para conferenciar sobre a vida, obra e o legado lingüístico.

página do jornal Público

página do jornal Público

Praticamente à mesma hora, o vogal do Conselho da AGAL Miguel Penas entrava em direto na conta do Instagram InstaGalego para interagir em direto com o seu gestor, respondendo a perguntas sobre Carvalho Calero e o reintegracionismo.

Já em Portugal, este Dia das Letras foi com muita diferença o mais acompanhado de sempre, salientando especialmente umha grande reportagem que o principal jornal do país (Público) dedica à posiçom reintegracionista perante este Dia das Letras. Na reportagem participam ou som mencionados bastantes membros da AGAL como Valentim Fagim, José Luís Rodríguez, José António Souto Cabo ou Eduardo Maragoto, que também foi entrevistado para um podcast do jornal. A reportagem leva por nome “O galego vai salvar-se no português?”


PUBLICIDADE