Natal na EDLG do Conservatório de Santiago

Conferência sobre Filgueira Valverde e concerto na Escola Oficial de Idiomas de Santiago



Neste mês de dezembro a Equipa de Dinamização da Língua Galega (EDLG) do Conservatório Profissional de Santiago de Compostela apresenta dous eventos: a conferência-concerto “Filgueira Valverde e a música portuguesa” e um concerto de Natal na Escola Oficial de Idiomas.

Conferência-concerto “Filgueira Valverde e a música portuguesa”

  •  Quarta-feira, 17 de dezembro de 2014, 20h
  • Auditório do Conservatório Profissional
  • Compostela

Cartaz confereu0302ncia Filgueira“O velho professor era na altura Presidente da Câmara de Ponte Vedra, estando à frente, portanto, duma instituição franquista. Pertenceu como Iglesias Vilarelle à direita galeguista e foi, para o galeguismo no exílio, um traidor não só à causa, ao igual que Risco, mas aos seus irmãos Alexandre Bóveda e Castelao; o que não o inabilita para ser um dos grandes intelectuais da cultura galega do século XX e, mesmo graças a ele e a posição que ocupava, foram editados durante a ditadura franquista os cancioneiros Casto Sampedro e Bal y Gay.”

Orjais, José Luís do Pico: Compositores portugueses no ‘Festival de la Canción Gallega’ de Ponte Vedra, 2013, Opúsculos das Artes, n.º 2. http://commons.folque.com/

Há poucos meses o Secretário Geral de Política Linguística surpreendia com um tweet em que afirmava que o Dia das Letras 2015 seria dedicado a José Filgueira Valverde. Parecia possível, dada a condição do hipotético homenageado, que tudo fosse uma dessas cousas rápidas que se dizem nas redes sociais, um querer chamar à atenção, ou uma boutade sem mais. Mas a realidade rachava todas as expetativas quando horas depois a RAG, instituição responsável da homenagem, anunciava exatamente o mesmo.

Nos âmbitos galeguistas a revolta foi monumental. Filgueira e a sua colaboração com o franquismo, a assunção de cargos de importância dentro do regime, o seu peso dentro da ditadura na Galiza não fazia dele o candidato ideal para festejar e promover a nossa língua e cultura.

Porém, como no Conservatório somos do ensino “especial” e porque não nos importa reconhecer que, franquista e tudo, Filgueira deixou publicados alguns trabalhos importantes em relação com a música galega, decidimos adiantar-nos nós também à RAG e festejar o seu dia em 17 de dezembro de 2014 com a conferência-concerto “Filgueira Valverde e a música portuguesa”, que tratará o tema do Festival da Canção de Ponte Vedra, auspiciado por Filgueira, para o qual contaremos com o luxo de termos entre nós o excelente pesquisador e músico, José Luís do Pico Orjais.

A conferência será completada com a interpretação de quatro das obras dos autores portugueses compostas sobre poemas galegos. A interpretação será a cargo do alunado da especialidade de canto, acompanhados ao piano pelo professor Lorenzo de los Santos.

Programa:

Campanas de Bastavales

  • Música: Cláudio Caneyro
  • Letra: Rosalia de Castro
  • Aida Cruz Estévez, soprano

Ponte Vedra

  • Música: Ruy Coelho
  • Letra: Luís E. Amado Carvalho
  • Anna Mélikhova, soprano

Cantigas do Vento

  • Música: Frederico de Freitas
  • Letra: M.ª Carme Kruckenberg
  • Christian Losada Matías, tenor

As Sete Ondas

  • Música: Frederico de Freitas
  • Letra: Ramão Vidal
  • Manuel Tojo Fernández, tenor
  • Lorenzo de los Santos Gago, piano

 

Concerto de natal na Escola Oficial de Idiomas

  • Quinta-feira, 18 de dezembro de 2014, 19:30h
  • Escola Oficial de Idiomas
  • Compostela

CARTAZ NATAL 2014 A3No dia a seguir, 18 de dezembro, fruto duma parceria entre as EDLG da Escola Oficial de Idiomas e do Conservatório, vários grupos musicais realizarão um concerto de natal na EOI com a colaboração do alunado da escola, que recitará as letras das canções que depois serão interpretadas. O programa oferece conjuntos instrumentais e vocais que cantarão obras clássicas e do reportório operístico em várias línguas, ao tempo que a música da panjolinha de Risco e uma versão às guitarras do tema de rock “Minha Terra Galega”, cuja letra atualizada e em Galego se reproduz a seguir:

A uma ilha do Caribe
não quero ter que emigrar,
nem trabalhar de [email protected]
[email protected] do meu lar.

Não quero sentir morrinha,
nem motivos pra chorar,
quando soa uma moinheira
o corpo só quer bailar.

Onde falam os pinheiros,
e se escutam alalás,
onde o monte é mais que arte
e os rios se juntam ao mar.

As sanfonas de Ortigueira,
as guitarras de Breogão,
os viquingues de Catoira
anossa língua aprenderão.

Onde a Grândola do Zeca,
onde a pedra de abalar,
o aturujo é sempre celta
e o Galego é mundial.

Minha terra galega,
onde o céu não sempre é gris,
Minha terra galega,
não quero estar longe de ti.

 

Programa do concerto de natal na EOI:

Conjunto de Violinos

 

Cânone da Mesa                                    W. A. Mozart

Londonderry Air                                    Tradicional Irlandesa

Rondo para dous Violinos                     Pietro Locatelli

Canções para voz e piano

Le secret                                                 G. Faurė / A. Silvestre

Morgen!                                                 R. Strauss / J. H. Mackay

 

Aida Cruz Estévez, soprano

Eva María Fernández González, piano

 

Chanson d’amour                                  G. Faurė / A. Silvestre

Panjolinha                                             C. Halffter / V. Risco

 

Christian Losada Matías, tenor

Xiana Otero Facal, piano

 

Morgengruss                                         F. Schubert / W. Müller

 

Anna Mélikhova, soprano

Xiana Otero Facal, piano

 

Per pietà, bell’idol mio                           V. Bellini / P. Metastasio

 

Pablo Nieves Fuentes, barítono

Xaime Santiago Subiela, piano

 

Trio de Clarinete, Oboé e Fagote

Divertimento n.º 1 KW 439b                 W. A. Mozart

Allegro. Minueto. Adagio.

Minueto. Rondo.

 

Érika Andreína Santiago Niebles, clarinete

Rodrigo Ares Furelos, oboé

Sheila Perez Romero, fagote

 

Conjunto de Guitarras

 

Minha Terra Galega                             Lynyrd Skynyrd / Siniestro Total /

/ arr. Conservatório

 

 

 

Todos os eventos realizados pelo conservatório são de entrada livre e gratuita.

A EDLG do conservatório deseja a [email protected] um feliz natal.

 

+ Para mais informações:

Isabel Rei Samartim

Isabel Rei Samartim

Mulher, música guitarrista, galega. Pensa que a amizade é uma das cousas mais importantes da vida. Aprendeu a sobreviver sem o imprescindível. Aguarda, sem muita esperança, o retorno do amor. Entanto isso não acontece, toca e escrevinha sob a chuva compostelana.
Isabel Rei Samartim

Latest posts by Isabel Rei Samartim (see all)


PUBLICIDADE

  • http://www.isabelrei.com Isabel Rei Samartim
  • https://www.facebook.com/antonio.gilhdez.1 António Gil Hdez

    Com a minha entusiasta “apoggiatura”!!!
    Muito trabalhais e muito vos fazem trabalhar as autoridades incompetentes…
    A banda da “konserjería de desedukazion …” é digna companheira do “seÑor” de não sei que de “enerxía” de “la yunta de Khalisia”.
    Este afirma hoje:
    “No tenemos ningún derecho a una tarifa eléctrica especial para Khalisia, que nosotros desgobernamos, porque aquí se produce más electricidad que en Euskadi, donde sí han conseguido una tarifa eléctrica especial.”
    O gajo poderia ter acrescentado no seu “kasteyano”:
    “A fin de kuentas, aki, en la komodidá eterónoma de Khalisia, la xente es menos peligrosa ke en Euskadi para la sakrosanta unidá de la patria espaÑola”.
    Pois, igual dizem no seu “kasteyano” os “desgobernantes” da “konserjería de desedukazion…”:
    “Dado ke en la komodidá eterónoma de Khalisia ai un idioma estenso i útil, komo lo es el espaÑol, nuestra lengua, tenemos que azer todo lo posible para que esa lengua, la gayega, desaparezka kuanto antes o por lo menos que no aparezka bien usada por ningún lado.”
    Para o conseguir utilizam uma seÑora inspectorante, acirrada por gente gabiosa, que manipula diretores e direções e ameaça funcionárias e funcionários… SEM NENHUM FUNDAMENTO nem legal nem social nem, menos ainda, ético ou decente.

    • http://www.isabelrei.com Isabel Rei Samartim

      Obrigada pelo teu apoio, caro. É-che o que há. Mudam os tempos, mudam as vontades…

      • https://www.facebook.com/antonio.gilhdez.1 António Gil Hdez

        Tempora mutantur, nos et mutamur in illis.

        Os tempos mudam-se, e nós também nos mudamos neles.

        • http://www.isabelrei.com Isabel Rei Samartim

          Sim, ó, nós também nos mudamos neles ou com eles. Ou são eles os que mudam porque nós mudamos? Veio-me à cabeça o do ovo e a galinha, não sei por que… 😉

  • http://www.isabelrei.com Isabel Rei Samartim