Partilhar

Biblioteca do Parlamento levará o nome de Carvalho Calero também em reintegrado

Com o renomeamento de diferentes salas do Parlamento galego anunciadas pola sede do poder legislativo, chegou também a hora de renomear a “Biblioteca Carballo Calero”, que passará a chamar-se “Biblioteca Carballo Calero/Carvalho Calero”.

carvalho-calero

Ao que parece, segundo informa La Voz de Galicia, a iniciativa corresponderia à Mesa da Câmara, mas havia tempo que a mudança de denominaçom era reivindicada por associações e no âmbito pessoal do próprio intelectual. A perguntas deste Portal, quer a filha mais nova do fundador do reintegracionismo, María Victoria, quer a ex-deputada Pilar Garcia Negro, manifestárom o seu agrado pola iniciativa. A Biblioteca Carvalho Calero encontra-se no Parlamento Galego desde 1997 a iniciativa desta política e contém os fundos bibliográficos do autor, constituídos por 4.872 volumes y 197 títulos de revistas, principalmente relacionados com a literatura e a linguística.
O presidente do Parlamento, Miguel Anxo Santalices, foi um dos promotores de diferentes iniciativas em lembrança de Carvalho Calero realizadas ao longo do ano 2020 e 2021, começando pola leitura continuada organizada pola AGAL em vídeo.

A Biblioteca Carvalho Calero encontra-se no Parlamento Galego desde 1997 a iniciativa desta política e contém os fundos bibliográficos do autor, constituídos por 4.872 volumes y 197 títulos de revistas, principalmente relacionados com a literatura e a linguística.

Fundos

A coleçom inclui uma completíssima coleçom de obras de autores galegos desde o século XIX até a década dos 80 do século passado, com muitas primeiras edições. O Parlamento também custodia o arquivo pessoal de Carvalho Calero, descrito em cerca de 3.500 entradas catalográficas. Ainda, consta de manuscritos do próprio autor e cerca de 4.000 cartas, entre as quais encontramos escritos de Fernández del Riego, Montero Díaz, Parga Pondal, Ramón Piñeiro, Otero Pedrayo, Tomás Barros, Álvarez Blázquez, Rodrigues Lapa o Sebastián Martínez Risco.

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”

Lançamento do livro 50 anos de Abril na Galiza, no Festigal, o 25J em Compostela

Scarpaccia de cabacinha

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”