Partilhar

Apresentaçom do poemário “Diários de coresma e quarentena” em Celanova

O próximo sábado, dia 2 de dezembro, às 12:00h na Casa dos Poetas de Celanova, da Fundação Curros Enriquez (Rúa Manuel Curros Enríquez, 37) apresenta-se o livro de Naire Eanes, editado por Saurobuks.

No evento intervirám Xoán Carlois Domínguez Alberte e Alfonso Rodríguez, da editora. Depois haverá recital da própria autora, Naire Eanes, com música de Verónica à zanfona.

Diários de coresma e quarentena é a primeira publicaçom da autora, psicóloga de formaçom e mui vinculada aos movimentos sociais e feminismos na Galiza. O poemário, escrito em galego internacional, conta com limiar de Gilgleide Kika de Andrade Silva, quem escreve comenta:

O livro que você tem nas mãos, querida pessoa leitora, é lindo, igual a pessoa quem o escreveu, uma escritora estreante que dança com as palavras, brinca com a primavera, abraça a vida, e nos dá o privilégio de conhecer este “Diário de coresma e quarentena“.

O livro conta também com imagens, a cor, de Natalia G. Devesa, fotógrafa e irmá da autora.

Este livro deixa as lamentaçons a um lado e exprime um período bizarro, no que Naire situa num marco esperançador carregado de erotismo e nom exento de reivindicaçom e chiscadelas às injustiças, da pandemia, das guerras e das prisões.

Este livro deixa as lamentaçons a um lado e exprime um período bizarro, no que Naire situa num marco esperançador carregado de erotismo e nom exento de reivindicaçom e chiscadelas às injustiças, da pandemia, das guerras e das prisões.

O poemário divide-se em várias partes, a pré-pandemia em março, o feche, em abril, e a desescalada, em maio.

A poesia de Naire é fresca, vagarosa e de palavras escolhidas. Uma crónica lírica dum periodo escuro que permite colocar o foco na sensorialidade, num rio, o Sar, e no amor.

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”

O Colexio de Xornalistas anuncia nova edição do Prémio ‘Somos Esenciais’

Inauguração da exposição “Sonhar a Palavra Liberdade” no Camões – Centro Cultural Português em Vigo

Garavanços com espinafres

AGAL e ABL anunciam leitura pública continuada d’A República dos Sonhos em Santiago de Compostela e no Rio de Janeiro

Notas sobre a épica: a propósito d’Os Lusíadas e o feudalismo ibérico

Conversa com Susana Arins na biblioteca Municipal José Saramago, de Compostela, arredor da sua obra “Seique”