Partilhar

AGAL volta a oferecer ateliês de português em 19 centros de ensino primário e secundário

Os ateliês de português OPS (O Português Simples) foram criados para mostrar às pessoas que o galego é uma entrada privilegiada para aceder ao mundo em português e a nossa vantagem competitiva no quadro espanhol e europeu. Som desenvolvidos em diferentes âmbitos: ensino, sócio-cultural e no tecido económico.

No ámbito do ensino, este ano terám oportunidade de receber a formaçom rapazada do IES Breamo de Pontedeume e mais do IES Poeta Añón da Serra de Outes, os centros de ensino do concelho de Moanha, que finacia a câmara municipal para o primário, com os ateliês INHO nos CEIP de Seara, a Guia, Tirán, Quintela, Abelendo, Reibón e Domaio e no secudário nos IES As Barxas e Paralaia.

Com o apoio da Deputación de Lugo, receberám a formaçom alunas e alunos do instituto de Becerreá, de Palas de Rei (IES do Caminho), da cidade de Lugo (IES Anxel Fole), do IES Lamas das Quendas de Chantada, do IES Enrique Muruais da Ponte Nova e do IES Monte Castelo de Burela.

Os ateliês desenvolvem os objetivos da Lei Paz Andrade -para o aproveitamento da Língua Portuguesa e vínculos com a Lusofonia-, e som desenvolvidos e ministrados pela área de formaçom da AGAL.

Carme Saborido: “A leitura continuada pode ser um impulso para mais pessoas fazerem outro tipo de consumo cultural que considere a lusofonia como um meio para atingir um fim: viver em galego”

A poesia de Rosalía e Luz Pozo em japonês

Alcachofras assadas

Alexandre Banhos: “A Lei Paz-Andrade é absolutamente desconhecida da administração galega, deu pouco de sim, poderia vir a dar no futuro”

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Carme Saborido: “A leitura continuada pode ser um impulso para mais pessoas fazerem outro tipo de consumo cultural que considere a lusofonia como um meio para atingir um fim: viver em galego”

A poesia de Rosalía e Luz Pozo em japonês

Alcachofras assadas

Alexandre Banhos: “A Lei Paz-Andrade é absolutamente desconhecida da administração galega, deu pouco de sim, poderia vir a dar no futuro”