Maria Vilaverde Lamas - Entrevista

Apresentaçom pública da Semente de Lugo

Sábado 27 de fevereiro - Museu Provincial de Lugo - 12: 00



mariasementeSábado 27 de fevereiro, apresenta-se a nova Semente em Lugo, que virá unir-se à rede educativa promovida desde o reintegracionismo e que já conta com a Semente Compostela, Semente Trasancos, e Semente Vigo. Falamos com uma das suas promotoras, Maria Vilaverde Lamas:

Como surgiu o projeto?

Em Lugo desde hai uns anos vem-se tecendo umha rede de maes e pais arredor do modo de como criar as nossas filhas e filhos. Através desta rede trocamos material, (roupa, cadeiras para crianças, livros…) mas ao mesmo tempo serve-nos para partilhar conhecimentos, e preocupaçons, e entre as preocupaçons a escola foi sempre um tema comum de debate.

Por umha parte, como maes e pais galego-falantes preocupadas com que os nossos filhos mantenham a língua num contexto de pressom social constante a favor do espanhol, constatamos que se reproduze a mesma tendência desgaleguizadora que no resto de cidades da Galiza, as crianças começam a escola falando galego e saem falando espanhol, e isto apesar de o galego na cidade de Lugo ter umha presença considerável se a compararmos com outras cidades galegas.

Por outro lado, coincidíamos na apreciaçom crítica do tipo de educaçom que as crianças sofrem na escola pública-estatal, (pois na educaçom privada já ninguém de nós pensava) e do papel desta na reproduçom social de valores e atitudes dominantes na sociedade actual tais como o consumismo, a competitividade, a obediência, o sexismo…

Isto, somado ao facto de a rede de apoio à criança ter ampliado a sua base social, organizando actividades para as crianças em lugares públicos, centros sociais, associaçons de vizinhas, possibilitou que algumhas maes e pais tomássemos consciência da necessidade social de alternativas de ensino onde língua e cultura galega fossem a base sobre a que alicerçar um modelo educativo transformador.

Este é o ponto de partida, depois o facto de em Compostela, Trasancos e Vigo terem andado parte do caminho até abrir as suas Escolas Semente de infantil, deu-nos o pulo necessário para somar-nos a este projecto comunitário de ensino galego, primeiro como associaçom, que nos permita acumular as forças e os apoios necessários para criar aqui em Lugo umha nova Escola Semente.

Quantas famílias estão embarcadas?

Somos dez famílias trabalhando no grupo promotor, mas além das famílias, dentro do grupo promotor, há também activistas sociais e educadoras, acho que é importante sublinhá-lo, pois este facto concorda com o carácter comunitário do projecto, estas pessoas nom estám no grupo promotor por um interesse pessoal ou familiar, mas sentem igualmente a necessidade de comprometer-se na criaçom dumha escola de imersom linguística com umha educaçom transformadora para a comunidade galego-falante.

Na Semente Lugo achamos que este apoio tanto a nível particular, como de entidades sociais, é básico para garantir a vocaçom pública da Escola Semente.

Qual é o projeto educativo para 2016/2017?

O nosso objectivo, e para isto nos constituímos em associaçom, é abrir umha Escola Semente em Lugo. No próximo Sábado 27 de Fevereiro faremos a apresentaçom pública da associaçom no Museu Provincial de Lugo, daremos a conhecer o nosso projecto e no acto intervirám para dar-nos o seu apoio reconhecidas activistas sociais e em favor da língua da cidade de Lugo, assi como representantes das Sementes de Compostela, Trasancos e Vigo.

Também se realizará um jantar de apoio à Semente no C.S. Mádia Leva com actividades para as crianças. Convidamos todas as pessoas interessadas a participar desta jornada. A partir de aí, o imediato é somar apoios, ampliar a rede social, organizar actividades para as crianças, e empreender este caminho, que também para nós é de aprendizagem, e que deve culminar com a inauguraçom dumha Escola Semente em Lugo.

sementelugo


PUBLICIDADE