Um concurso literário para estudantes de galego internacional



contos_grandeNa passada terça-feira, dia 5 de maio, comemorou-se, pela primeira vez, o Dia Mundial da Língua Portuguesa – data consagrada pela UNESCO no calendário internacional – e, para assinalar a efeméride, o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, a Porto Editora e o Plano Nacional de Leitura lançam o concurso literário “Contos do Dia Mundial da Língua Portuguesa”.

Este concurso literário tem a particularidade de se dirigir ao alunado que está a frequentar cursos de língua e cultura portuguesas por todo o mundo.

O desafio é escrever um conto inédito (entre uma a três páginas), cuja autoria e originalidade deve ser atestada pelo professorado resposável. Para assegurar a abrangência deste concurso, foram definidas categorias atendendo à idade (dos 8 aos 14 anos e a partir dos 15 anos) e níveis de proficiência da língua do alunado. Os trabalhos serão avaliados por um júri de cinco elementos em representação das três entidades organizadoras (Porto Editora, Camões, I. P. e Plano Nacional de Leitura) e as pessoas vencedoras serão conhecidas a 5 de maio de 2021.

Este é o vídeo de apresentação do prémio, com Graciete Teixeira, administradora da Porto Editora, Luís Faro Ramos, presidente do Camões, I.P. e Teresa Calçada, comissária do Plano Nacional de Leitura.

 

Celebrar a universalidade da Língua Portuguesa

Graciete Teixeira, da Porto Editora, a propósito da efeméride, considera que o concurso literário reflete a universalidade da Língua Portuguesa e constitui uma outra forma de promover a língua nas mais diversas geografias.

Por sua parte, Luís Faro Ramos, Presidente do Camões I.P refere que “este incentivo à criação em língua portuguesa para jovens que estudam em português em 76 países, em 5 continentes visa não só estimular competências linguísticas, mas apoiar o diálogo e o encontro entre culturas, reforçando, assim, duas dimensões (…): a afirmação do Português como uma língua de comunicação internacional e como uma língua plural, de pontes e de encontros”.

Teresa Calçada, Comissária do Plano Nacional de Leitura português também aponta: “A proposta de escrita de um conto, género literário dos mais antigos, de grande tradição popular –Quem conta um conto, acrescenta um ponto-, muito ligado ao que chamamos vida (…) é um desafio que convoca a escrita, a leitura, o pensamento e a criatividade como forma de recriar e celebrar a língua portuguesa”, diz Teresa Calçada, Comissária do Plano Nacional de Leitura.

Os dados oficiais indicam que o português é falado por mais de 260 milhões de pessoas nos cinco continentes (3,7% da população mundial), sendo língua oficial dos nove estados membros da CPLP (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste) e Macau, bem como língua de trabalho ou oficial de um conjunto de organizações internacionais como a União Europeia, União Africana ou o Mercosul.


PUBLICIDADE