Transmissão intergeracional da língua: opina Alonso Caxade



A próxima terça-feira dia 28 de junho, às 20h da tarde decorrerá o encontro online para refletir num assunto estratégico para o nosso idioma, a transmissão intergeracional da língua e o ensino.

Como avanço ao próximos debate, os participantes respondem à pergunta: porque o ensino obrigatório é uma ferramenta que castelhaniza as falas das crianças galego-falantes? A primeira resposta chega na voz do Alonso Caxade:

Algumhas das chaves em que afundar serám porquê o ensino público castelhaniza e como poderia deixar de fazé-lo, alternativas a este modelo e também o peso de outros espaços para além da escola, como a família, o grupo de iguais e os consumos digitais.

O desenvolvimento do debate, moderado por Charo Lopes, podera-se seguir ao vivo no youtube e no facebook, tendo o público opçom de fazer comentários e perguntas durante o mesmo. Esta atividade está desenvolvida com o apoio da Deputaçom da Corunha.

Os participantes som:

Alonso Caxade
Nasceu em Ames em 1981. É mestre da escola pública desde 2004, com a especialidade em Educaçom Musical e posgraduado de Especializaçom em Música Tradicional Galega. Reconhecido como músico, estudou acordeom no Conservatório Profissional de Ponte Vedra e formou parte de diferentes formaçons musicais, sendo o mais relevante o seu projeto pessoal “Caxade” com o que publicou três discos. Conta com diferentes prémios neste ámbito, e foi o representante galego no Festival de Língua Menorizadas “SUNS Europe”. Na atualidade é o diretor do CEIP de Barouta em Ames.

Helena Baraibar
Exerce de professora na Ikastola Laskorain de Tolosa na ESO e Bacharelato. Foi coordenadora do Proxecto Linguístico das ikastolas de Gipuzkoa, impulsionando a linha de trabalho Euskaraz Bizi (Viver em euskara) que sublinha a importáncia dos espaços e atividades extraescolares na aprendizagem da língua, no seu uso e na identificaçom emocional com a mesma, assim como na necessidade de evidenciar obxectivos linguísticos nas programações de lazer. Formou parte do Centro de ensino de euskera (Ikastolen Leizaur euskaltegia): trabalhando na capacitaçom linguística de docentes. 

Santiago Quiroga
Santiago Quiroga nasceu em Guitiriz, em 1987. É mestre numa escola rural de Boqueixom. Fai parte da coordenadora nacional da Semente, do secretariado de Nova Escola Galega e da comissom de defesa da língua da Gentalha do Pichel. Está interessado no estudo da Pedagogia crítica como ferramenta de transformaçom social e colabora com meios de comunicaçom como o galizalivre.como ou o Novas da Galiza.




PUBLICIDADE