Pessoas lusófonas poderão unir-se à AGAL com uma quota simbólica ao longo de 2021



whatsapp-image-2021-05-17-at-07-31-54Neste 17 de maio, para celebrar os 40 anos de vida, a mais antiga associação reintegracionista pretende galgar o rio Minho. É no âmbito lusófono extragalaico que a AGAL tem menos músculo e, por isso, decidida a resolver essa carência, decidiu que associará cidadã(o)s provindas/os de qualquer país lusófono (excetuando a Galiza), por uma quota simbólica de 94 cêntimos de euros durante um ano de associação desde o momento em que se torne efetiva a adesão à associação. Esta quantia simboliza o número de pessoas associadas com que partiu a entidade em 31 de outubro de 1981, após meses de trabalho de uma comissão fundacional desde o mês de maio. Com a AGAL nascia também o movimento reintegracionista organizado que já estavam a antecipar os debates normativos acontecidos ao longo dos anos 70.

Associará cidadã(o)s provindas/os de qualquer país lusófono (excetuando a Galiza), por uma quota simbólica de 94 cêntimos de euros durante um ano de associação desde o momento em que se torne efetiva a adesão à associação.

Por todo o que representa, a AGAL é um organismo relativamente bem conhecido na Galiza, mas muito pouco ainda no resto da Lusofonia. Para o seu presidente, Eduardo Maragoto, “este ano estamos de aniversário, fazemos 40 anos, e gostaríamos de celebrá-lo juntando à nossa volta todos os amigos e amigas que já temos em Portugal, no Brasil e em todos os outros países lusófonos”. Perguntado por este portal em relação ao momento escolhido para a campanha, Maragoto salientou que “o número de pessoas lusófonas interessadas na questão galega não para de crescer há uns anos e a AGAL está aqui para as receber, para lhes ajudar a dar o seu contributo em prol da língua portuguesa no nosso país. Este é o momento certo para isso, já que o facto de nos últimos tempos se estarem a realizar alguns trabalhos telemáticos, vai facilitar ainda mais a colaboração das pessoas associadas de além Minho”.

Maragoto salientou que “o número de pessoas lusófonas interessadas na questão galega não para de crescer há uns anos e a AGAL está aqui para as receber”

A partir do momento em que aceitarem a proposta e durante um ano, sempre que esta aceitação se produzir nalgum momento ao longo de 2021, as pessoas interessadas destes países desfrutarão de todas os direitos, regalias e descontos que o resto dos sócios só pagarão uma quota-parte simbólica de menos de um euro (94 cêntimos de euro). Transcorrido um ano, voltariam a ser contactadas para saber se gostaram da experiência e desejam continuar na AGAL a pagar a mesma quota que os outros sócios e sócias, ou preferem ficar simplesmente como “[email protected] da AGAL” (que dá direito a continuar a receber informação por parte da associação).

Interessados ou interessadas podem simplesmente pôr-se em contacto com a diretiva da AGAL no email [email protected]


PUBLICIDADE

  • Arturo Novo

    Uma magnífica iniciativa. Parabéns!

  • https://www.facebook.com/jose.antonio.9231 Jose Antonio

    Excelente! Parabéns à AGAL. “A minha língua é a minha pátria”. Pátria Galega, sempre!