Nenhum dos 10 canais temáticos infanto-juvenis das operadoras de TV oferece conteúdos em galego



A Mesa publicou na passada semana o Informe Xabarín onde sinala a exclusom da língua galega nos conteúdos audiovisuais, “tanto na versom original como na versom dobrada ou legendada, também nas plataformas de TV, com apenas 1 em cada 1000 títulos em galego”.

xabarin_cobng_03A Mesa espera mudar a situaçom depois da recetividade mostrada polos grupos parlamentares à Iniciativa Xabarín, que será debatida em maio na Sessom Plenária do Parlamento após ser assumida por BNG e PSdG.

O estudo sobre a presença do galego nas operadoras e plataformas de conteúdos audiovisuais que conclui que nenhum dos dez canais temáticos infantis disponíveis em média nas principais operadoras de TV por fibra ótica oferece conteúdos em galego e que apenas 25 dos mais de 25000 títulos do catálogo global oferecido polas operadoras incluem a opçom do galego, seja na versom original, dobrada ou legendada. Além disso, o relatório afirma que a TVE nom chega a 40 minutos por dia em galego, contra 119,4 horas por dia em espanhol.

A Iniciativa Popular ao Parlamento de Galiza e instar o governo galego a tomar as medidas necessárias para aumentar a oferta de CRTVG em galego dirigida a crianças e jovens na televisom pública através de um canal “Xabarín”.

Os resultados deste relatório forom publicados após a reuniom com os grupos parlamentares do PP, BNG e PSdG para apresentar a Iniciativa Popular ao Parlamento de Galiza e instar o governo galego a tomar as medidas necessárias para aumentar a oferta de CRTVG em galego dirigida a crianças e jovens na televisom pública através de um canal “Xabarín”. Este contaria com programaçom atrativa, atual, educativa e de produçom galega dirigida a crianças e jovens e disponível em todas as plataformas digitais, bem como numha App atualizada para todos os dispositivos com, também, programas e jogos. A iniciativa insta ainda que toda a programaçom televisiva, incluindo as plataformas e TVE, tenha umha versom em galego original, dobrada ou legendada.

Para o presidente da Mesa, Marcos Maceira, “a recetividade demonstrada polos grupos parlamentares é promissora.” As possíveis dificuldades técnicas e administrativas na emissom de um canal TVG Xabarín via TDT poderiam ser salvas incluindo-o nos pacotes básicos de TV de fibra ótica, satélite, adsl e tecnologia móvel, bem como disponibilizando a App Xabarín para todos os dispositivos e Smart TV. A iniciativa Xabarín promovida pola Mesa pretende também que o Parlamento galego exija que o governo espanhol atue como canal público dobrando e legendando ao galego todos os seus conteúdos e que as cotas fixadas pola nova Lei Geral do Audiovisual para o espanhol na dobragem, legendagem ou financiamento de produçons audiovisuais, sejam idênticas para o galego. Assim, para além de possíveis acordos com a Xunta, a legislaçom garantiria também conteúdos em galego em plataformas como HBO, Netflix ou Filmin.

As possíveis dificuldades técnicas e administrativas na emissom de um canal TVG Xabarín via TDT poderiam ser salvas incluindo-o nos pacotes básicos de TV de fibra ótica, satélite, adsl e tecnologia móvel, bem como disponibilizando a App Xabarín para todos os dispositivos e Smart TV.

“O galego tem que deixar de ser excluído da oferta audiovisual”, lembra Maceira. “É lamentável que umha meninha ou um meninho galego na Galiza tenha mais opçons de visualizaçom de conteúdos em francês ou um rapaz ou umha rapariga em chinês ou árabe do que em galego”, denuncia. “Os dados falam por si e esperamos que a vontade de corrigir esta situaçom, expressa à Mesa por todos os grupos, se concretize na aprovaçom unânime da iniciativa Xabarín para que a Xunta e a TVG fagam o que está ao seu alcance, mas também para que o estado cumpra os mínimos que qualquer língua oficial tem”, conclui o responsável da entidade de defesa da língua.

Todos os partidos compreenderom que o galego nom pode ficar excluído da oferta audiovisual e que som necessárias medidas urgentes. Neste momento, só a TVG garante a presença do galego na grelha televisiva, mas é necessário alargar a sua oferta com um canal temático Xabarín para operadoras como R, Movistar ou Vodafone, além de adaptar a App Xabarín a todos os dispositivos.

O Informe também insta ao governo galego a chegar a acordos para impulsionar a recepçom mútua da RTP (Rádio e Televisão de Portugal) e da RTVG em Galiza e Portugal.

informe-xabarin


PUBLICIDADE

  • ernestovazquezsouza

    Pois vai ser que eu não entendi bem o das vantagens de ser reintegracionista… aquilo de que a nossa língua é internacional, o de que há o português e isso tudo… ou agora a AGAL é a Mesa ??