Partilhar

Mercedes Queixas, neofalante: “Falar galego foi un exercício de conciência social e de paz comigo mesma”

Mercedes Queixas é da Corunha e é professora de Língua e Literatura Galega. Começou a falar em galego aos 18 anos depois de passar por umha situaçom de diglossia em relaçom ao galego.

Com o tempo, percebeu que o galego era a língua em que queria viver: “Senti-me bem vivendo em galego e correspondia-me dar esse passo para outros também poderem da-lo”.

Assim, diz que este passo foi um exercício de conciência social e de paz e tranquilidade consigo mesma.

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”

Lançamento do livro 50 anos de Abril na Galiza, no Festigal, o 25J em Compostela

Scarpaccia de cabacinha

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”