1º de Abril: Adriana Calcanhotto e Rui Zink, protagonistas do filme ‘O Crânio de Castelao’, informa revista brasileira



Globo Filmes vai co-produzir O Crânio de Castelao, revelou umha revista especializada do cinema brasileiro. Nom está confirmado ainda o reparto, especialmente da parte brasileira, mas a publicaçom avança um papel para a atriz Adriana Calcanhotto. Aliás, confirma que o protagonista será o escritor português Rui Zink, o qual parece ter sido confirmado por ele num vídeo difundido nas redes sociais.

Crânio de Castelao foi editado no ano passado na Galiza e é a primeira obra de coletiva assinada por diversos autores da Lusofonia, destacando a presença de autores galegos. A Associaçom Galega da Língua (AGAL), responsável pola ediçom mediante o carimboAtravés|Editora, vai ser co-produtora do filme em parceria com a Globo.

O livro conta a história de um investigador universitário que recebe a encomenda de procurar o cránio de Castelao após o seu roubo no panteom de galegos ilustres. Recentemente, o livro foi apresentado em Lisboa, evento ao que assistiu Ricardo Pereira, diretor da Globo TV internacional em Portugal.

Após a leitura do livro Pereira, nom hesitou em sugerir aos responsáveis pola divisom cinematográfica para se interessarem no livro. A revista brasileira mesmo afirma que o professor Carlos Quiroga já foi contatado para coordenar a equipa de roteiristas que adatarám o policial à linguagem cinematográfica. O papel de Rui Zink seria o de P., o investigador e personagem central do filme.

Como indicado antes, Rui Zink afirmou no Twitter estar «feliz» pola sua participaçom num projeto «voltado para a Lusofonia», sem aclarar muito o senso das suas palavras até que horas depois publicou um tweet explícito a respeito. No entanto, num vídeo difundido também pola internet, um Rui Zink visivelmente satisfeito refere-se em termos fraternos à Galiza e à unidade lingüística, talvez como confirmaçom extra-oficial do que parece um segredo a vozes.

 

Tweet de Rui Zink confirmando a participaçom

 twitter de Rui Zink

Rui Zink: «O alvarinho é galego, mas a nossa língua é mundial»

Pola sua parte, a AGAL e o próprio professor Quiroga declinárom fazer declarações sobre o publicado por este magazine cinematográfico e pedírom calma e paciência. «Se finalmente se concretizar este ou qualquer outro projeto, a associaçom informará devidamente a sua base social e o resto da cidadania», assinala o presidente da AGAL, Miguel R. Penas, quem também estivo na apresentaçom lisboeta do livro.

A rodagem do Crânio só deverá começar em 2015. O projeto viria a marcar a primeira grande co-produçom galega-brasileira e poderia ser umha das grandes protagonistas dos prémios Mestre Mateu já no ano a seguir.

lançamento em Lisboa

Miguel Penas, Luís Ricardo Duarte, Carlos Quiroga e Quico Cadaval
na Ler Devagar de Lisboa
 | Foto: Pedro Teixeira

 

NOTA: ‘O primeiro de Abril vam os burros onde nom têm que ir”. Esta notícia foi o nosso modesto contributo para o Dia da Mentira de 2014, festejo tradicional galego (e comum a outros países lusófonos) em cuja recuperaçom o PGL leva mais de umha década envolvido.

 

+ Ligações relacionadas:

 

 

 

Esta notícia é mentira: é o nosso contributo ao 1º de Abril!!

 

«O primeiro de Abril vam os burros onde nom têm que ir»

 

 


PUBLICIDADE