Universidades da Galiza e Norte de Portugal lançam 4 pós-graduações conjuntas

Em causa estão as universidades do Minho, Porto, Trás-os-Montes e Alto Douro, Corunha, Santiago de Compostela e Vigo.



As universidades públicas da eurorregião Galiza-Norte de Portugal vão lançar, no próximo ano letivo, quatro pós-graduações conjuntas, “pioneiras a nível europeu” pelo seu perfil cooperativo, transfronteiriço e multidisciplinar

campus de Gualtar, da Universidade do Minho

Em comunicado, a Universidade do Minho refere que as e os estudantes terão acesso a uma rede de recursos partilhada pelas universidades, desde docentes conceituados a literatura disponível.

A oferta inclui os doutoramentos em Matemática e Aplicações e em Ciências Sociais e Envelhecimento, além dos mestrados em Desafios das Cidades e em Direito Transnacional da Empresa e das Tecnologias Digitais.

A primeira fase de candidaturas decorre até 24 de junho e a segunda fase entre 01 e 15 de setembro, em Portugal, tendo as aulas início em outubro.

Os cursos resultam do projeto “Universidade Sem Fronteiras”, que é liderado pela UMinho e junta as seis universidades públicas do Norte de Portugal e da Galiza, a par da Fundação Centro de Estudos Eurorregionais.

O investimento total ronda 1,99 milhões de euros, dos quais 1,49 milhões oriundos de programas comunitários.

O investimento total ronda 1,99 milhões de euros, dos quais 1,49 milhões oriundos de programas comunitários.

“Acreditamos que os novos cursos podem abrir portas a outras formações e até motivar universidades terceiras a replicarem este modelo pioneiro”, considera a coordenadora do projeto e vice-reitora para a Educação e Mobilidade Académica da UMinho, Filomena Soares.

O mestrado em Desafios das Cidades une as seis academias e é lecionado em castelhano, português e galego. Tem 36 vagas, regime ‘b-learning’ e três semestres.

Os e as estudantes vão adquirir conhecimento em seis domínios (património construído, ambiente, ciências sociais e educacionais, tecnologias de informação, governança, economia), suportando ações ligadas à construção de cidades sustentáveis, inteligentes, eficientes, resilientes e inclusivas.

O mestrado em Direito Transnacional da Empresa e das Tecnologias Digitais tem também três semestres em regime ‘b-learning’ e 30 vagas.

Lançado pelas universidades do Minho e Santiago de Compostela, visa reforçar as competências de licenciados em Direito que queiram exercer uma profissão jurídica a nível ibérico e internacional.

A formação foca o direito internacional privado, o direito da UE, o direito português e espanhol e o direito comparado, aliando uma forte vertente aplicada às novas tecnologias.

Já o doutoramento em Matemática e Aplicações envolve as seis academias parceiras, tem três anos de duração, regime diurno, quatro idiomas (português, castelhano, galego, inglês) e 30 vagas.

As pessoas formandas vão desenvolver técnicas, linguagens e ferramentas teóricas e computacionais adequadas para a resolução de problemas.

Por outro lado, vão aprofundar a abordagem autónoma de contextos matemáticos, obter competências em modelação inovadora e resolver fenómenos científicos neste âmbito.

O doutoramento em Ciências Sociais e Envelhecimento envolve as universidades do Porto, Trás-os-Montes e Alto Douro, Corunha, Santiago de Compostela e Vigo, possui três anos em regime normal, quatro idiomas (português, castelhano, galego e inglês) e 20 vagas ao dispor.

Trata-se de uma formação avançada sobre envelhecimento demográfico e longevidade a partir da lente das ciências sociais.

Pretende ser uma referência ibérica e agregar variadas áreas disciplinares, capitalizando as suas semelhanças e também as suas diferenças para aprofundar este fenómeno multidimensional.

[Esta notícia foi originariamente publicada no site ominho.pt]


PUBLICIDADE