Sindicatos do ensino pedem a convocatória de vagas para o ensino de português como segunda língua estrangeira



Livro de ensino da língua portuguesa

Livro de ensino da língua portuguesa

Na manhã de hoje, os sindicatos CIG-Ensino, CCOO-Ensino, FETE-UGT, ANPE, STEG, CUT, CSI·F e CNT apresentarão no Registo Central da Junta, em Santiago de Compostela, um escrito dirigido ao diretor-geral da Educação, Formação Profissional e Inovação Educativa. No documento, estas organizações pedem que para este curso 2015-2016 sejam convocadas vagas públicas para a especialidade de português no ensino secundário e seja estabelecida uma listagem de substituiõçes própria.

As organizações sindicais consideram que, devido ao aumento constante —mesmo sem o devido apoio da Junta da Galiza— do número de alunos e alunas que deseja estudar português, é necessário incrementar a oferta para «poder responder com qualidade e eficácia às novas exigências educativas». A língua portuguesa é falada no mundo por mais de 250 milhões de pessoas e a Galiza tem uma vantagem competitiva nesta área a respeito do resto das autonomias, salientam.

Por último, os sindicatos e também a associação Docentes de Português na Galiza lembram que a petição de convocatória de vagas já fora realizada no ano 2010 e assinalam que a Lei Paz-Andrade recolhe no seu artigo primeiro que «os poderes públicos galegos promoverão o conhecimento da língua portuguesa […]».

Sindicatos do ensino entregam em 2010 petição de criação de vagas de português

Sindicatos do ensino entregam em 2010 petição de criação de vagas de português

+ Mais informações:


PUBLICIDADE