Partilhar

Lançamento de “Do ódio à paródia” de Alexandre Peres Vigo na Corunha

A próxima quarta-feira, dia 13 de setembro às 19:30h no local da Asociación Cultural Alexandre Bóveda (Rua Santo André, nº36, 1º andar) apresentara-se a novidade editorial Do ódio à paródia. O estereotipo antigalego na literatura espanhola do século XVII.

Na apresentaçom Alexandre Peres Vigo, estará acompanhado polo filólogo e escritor corunhês Xosé Manuel Sanches Rei.

Se a finais da Idade Média a própria Galiza, a sua povoação e ainda a sua língua encarnavam no ideário castelhano a imagem demonizada duma terra incógnita, bárbara e politicamente adversa, desde meados do século XVI os movimentos migratórios, desde a Galiza até às povoações da meseta castelhana, acabariam por mudar essa perceção coletiva. As condições precárias de boa parte da diáspora galega em Castela, assim como a crescente xenofobia resultante da tensão intergrupal, acabaram intensificando a marginalidade da imagem da Galiza no século XVII. Após este novo contexto, boa parte dos atributos negativos herdados de séculos anteriores radicalizaram-se enquanto outros novos abriam caminho: os galegos e as galegas deixaram de ser vistos como rebeldes para se tornarem um paradigma de lacaios, estalajadeiras e aguadeiros do imaginário castelhano. Seguidamente a demonização deviria na ridicularização e, portanto, o ódio em paródia.

As condições precárias de boa parte da diáspora galega em Castela, assim como a crescente xenofobia resultante da tensão intergrupal, acabaram intensificando a marginalidade da imagem da Galiza no século XVII.

Alexandre Peres Vigo. Licenciado em Humanidades e doutor pela Universidade da Corunha com a tese O estereotipo antigalego na literatura española moderna: xénese, desenvolvemento e consolidación. É autor de numerosas publicações académicas e jornalísticas focadas no estereotipo antigalego, na sociolinguística galega, bem como em diferentes aspetos historicoculturais relativos ao reino da Galiza. Exerceu como docente no ensino secundário e bacharelato durante mais de dez anos. Atualmente é professor da Área de Filologias Galega e Portuguesa da Universidade da Corunha e é membro do Grupo de Investigación Lingüística e Literaria Galega (ILLA) da mesma universidade.

A Mesa tramitou mais de um milhar de expedientes em 2023

Areias de Portonovo, uma jornada atlântica da Galiza ao Brasil

A USC comemora os 50 anos da revolução de 25 de Abril que deu início à democracia contemporânea em Portugal

Sónia Engroba: ‘Não somos conscientes nem conhecedores do poder da nossa própria língua’

Novidades Através: 50 anos de Abril na Galiza

Lançamento do livro González-Millán, a projeção de um pensamento crítico, em Braga

A Mesa tramitou mais de um milhar de expedientes em 2023

Areias de Portonovo, uma jornada atlântica da Galiza ao Brasil

A USC comemora os 50 anos da revolução de 25 de Abril que deu início à democracia contemporânea em Portugal

Sónia Engroba: ‘Não somos conscientes nem conhecedores do poder da nossa própria língua’