Centro de Estudos Galegos organiza ciclo em Lisboa

(Des)Encontros Galego-Portugueses

Língua, fronteira ou emigração são alguns dos temas abordados. Debates, conferências, filmes e um itinerário guiado compõem o programa



des_encontros_pequeno

O Centro de Estudos Galegos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH/NOVA) organiza o ciclo de eventos (Des)Encontros Galego-Portugueses, a decorrer em Lisboa nos meses de março, abril e maio na sede da Xuventude de Galicia – Centro Galego de Lisboa. Estruturado em seis sessões monográficas, o ciclo aborda o estado das relações históricas e atuais entre a Galiza e Portugal.

A primeira sessão, programada para 4 de março, às 19h00, estará subordinada ao tema da língua e contará com a presença de Marco Neves, tradutor e professor da FCSH/NOVA e do galego José Ramom Pichel, investigador especializado em sistemas de tradução. Marco Neves, numa palestra intitulada “Galego: a língua invisível”, tentará encontrar respostas para as dificuldades que os portugueses costumam ter para reconhecer o galego e apresentará as vantagens que um eventual reencontro com esta língua poderia ter para Portugal. José Ramom Pichel, por sua vez, estudará o apagamento do galego dos relatos históricos oficiais de Portugal e avaliará os horizontes que a convergência com a língua portuguesa pode outorgar aos falantes de galego nos próximos anos.

Na segunda sessão do ciclo, 18 de março, a antropóloga e professora da FCSH/NOVA, Paula Godinho, falará da história do Couto Misto, o mítico espaço da fronteira galego-portuguesa, concretamente do tratado assinado em 1864 pelos estados português e espanhol, bem como das resistências populares ao mesmo. No dia 8 de abril, Carlos Pazos, professor da Universidade do Minho, pronunciará a palestra “Dos gallegos de exportação à Eurorregião. Visões lusas da Galiza e os galegos”, que versa sobre as imagens e os estereótipos que sobre a Galiza e as pessoas galegas foram construídas em Portugal ao longo da história.

A quarta sessão do ciclo, 22 de abril, tratará os processos de resistência às ditaduras salazarista e franquista. Será exibido o documentário Santa Liberdade da realizadora galega Margarita Ledo Andión, que nos aproxima do sequestro do barco Santa Maria realizado por lutadores antifascistas portugueses e espanhóis em 1961, entre os quais os galegos Xosé Velo Mosquera e Jorge Soutomaior. No dia 7 de maio o convite é para um itinerário guiado pelos espaços mais importantes da história da comunidade galega de Lisboa, que partirá às 16h00 do Centro Galego de Lisboa.

Encerrará os eventos do ciclo Mercedes Queixas Zas, da Asociación de Escritores/as en Lingua Galega, que pronunciará uma conferência sobre as relações de Manuel María – escritor homenageado no Dia das Letras Galegas 2016 – com Portugal e a sua cultura: “Voltar a Portugal, dourada luz que ilumina”.

Mais informações:

https://www.facebook.com/CentroEstudosGalegosLisboa/
http://ceg.fcsh.unl.pt/site/principal.asp


PUBLICIDADE