Coleção ‘Leve um Livro’ distribui poesia em Belo Horizonte



1_Capa-ChacalCom muitos versos na cabeça e um projeto pronto, Bruno Brum e Ana Elisa Ribeiro, curadores do projeto Leve um Livro, começaram a fazer a poesia circular pelas ruas de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

Para participar do projeto foram chamados 24 poetas espalhados por todo o Brasil, para publicar microantologias, duas a cada mês, ao longo de um ano. Os livros são feitos especialmente para a coleção, com projeto gráfico exclusivo, e são distribuídos gratuitamente em 20 pontos de Belo Horizonte. Basta pegar, levar para casa e começar a coleção.

O lançamento da coleção ocorre no dia 27/11/2014, quinta-feira, a partir das 19h30, no Sesc Palladium, e marca a chegada dos dois primeiros volumes da coleção: Arquitetura de Interiores + 2, de Ana Martins Marques, e É proibido pisar na grama, de Chacal.

Sem a preocupação do ineditismo, o projeto busca mostrar o trabalho dos poetas e ampliar o consumo de poesia entre os cidadãos. Cada livreto terá tiragem de 2500 exemplares, que serão distribuídos gratuitamente em displays de acrílico afixados em centros culturais, cinemas, cafés, bares, livrarias, sebos, teatros e bibliotecas de Belo Horizonte. Serão ao todo 20 pontos de distribuição. As ilustrações de capa são da artista plástica Tatiana Perdigão.

O evento de lançamento contará com um bate papo entre os curadores, mediado por Victor da Rosa, seguido por uma performance do poeta Chacal (RJ) e sarau com autores convidados: Carlos Ávila, Fabrício Marques, Jovino Machado, Makely Ka, Marcelo Dolabela, Nicolas Behr, Renato Negrão, Simone Andrade Neves e Thais Guimarães.

Os autores

1_Capa-Ana-Martins-MarquesAna Martins Marques é mineira e nasceu em 1977. Publicou A vida submarina (Scriptum, 2009) e Da arte das armadilhas (Companhia das Letras, 2011). Com Da arte das armadilhas, recebeu o Prêmio de Literatura da Fundação Biblioteca Nacional e foi finalista do Prêmio Portugal Telecom.

Chacal é carioca e nasceu em maio de 1951. É um dos principais nomes dos poetas que ficaram conhecidos como “geração mimeógrafo”. Em 1971, Chacal publicou em mimeógrafo e saiu distribuindo e declamando pelas ruas do Rio de Janeiro o livro Muito prazer, Ricardo. Em 72, Preço da passagem, dando início à poesia marginal no Brasil. Chacal é criador e produtor do Centro de Experimentação Poética – Cep 20.000 – um acontecimento multimídia mensal, que há 23 anos revela nomes no cenário musical, poético e dramático do Rio. Chacal lançou 14 livros. Em 2007, Belvedere, suas poesias reunidas, pela Editora Cosacnaify (Prêmio APCA 2008). Em 2010, publicou suas memórias pela editora 7 Letras em Uma história à margem. Em 2012 saiu pela Companhia das Letras, o livro para adolescentes, Murundum. Em 2012, estreou como ator e autor, o monólogo autobiográfico Uma história à margem.

José Carlos da Silva

Desde 2008, José Carlos da Silva é correspondente do PGL no Brasil. Residente em Campinas (São Paulo), é produtor cultural e periodista. Como produtor cultural trabalha pela difusão da cultura caipira, que tem na viola de 10 cordas, sua maior expressão.

PUBLICIDADE

  • http://www.isabelrei.com Isabel Rei Samartim

    Minas Gerais, fonte incansável de magní[email protected] poetas.