Partilhar

Bernardo Penabade recebe Prémio Meendinho 2023

Arca da Noe” acolherá a gala de entrega do Prémio Meendinho à dinamização cultural transfronteiriça

No próximo sábado, dia 9 de setembro, será realizada em Vilar de Santos a entrega da décimo quarta edição do Prémio Meendinho. O momento de partida está agendado para as 12 do meio-dia na sala “Arca da Noe“, onde diversas personalidades galegas e portuguesas vão participar na “laudatio” do premiado: o professor Bernardo Penabade, representante da iniciativa educativa Modelo Burela. Imediatamente a seguir à parte musical, protagonizada por Sérgio Mirra, o encontro finalizará com  atuações após o almoço.

Bernardo Penabade: um referente no ensino da Língua Portuguesa na Galiza (1988-2023)

Nascido em 1964 nas Granhas do Sor -uma freguesia do norte da Galiza-, Bernardo Penabade estudou Filologia Galego-Portuguesa na Universidade de Santiago, onde desenvolveu intensa atividade de dinamização cultural. Desde 1985 combinou os estudos com o trabalho para a Televisão da Galiza (TVG) e entre 1987 e 1988 foi colaborador do jornal El Correo Gallego. Trás um breve período na Escola Paulo VI da Rua de Valdeorras, foi docente nos institutos Otero Pedraio (Ourense), Joám Carballeira (Bueu), Ortigueira e no Vilar Ponte (Viveiro). No momento presente trabalha no Instituto Perdouro de Burela. No âmbito associativo em 1984 entrou no conselho diretivo da Associação Galega da Língua (AGAL), entidade da qual foi secretário em 1996 e presidente entre 2002 e 2007.

No âmbito associativo em 1984 entrou no conselho diretivo da Associação Galega da Língua (AGAL), entidade da qual foi secretário em 1996 e presidente entre 2002 e 2007.

Desde 2003 coordena o Modelo Burela, iniciativa de didática e planificação linguística pensada para a aplicação no âmbito local. No contexto do aproveitamento da radiodifusão em benefício das comunidades educativas tem dirigido 392 entregas do programa Proxecto Neo e tem colaborado noutros 329 na produção do Grandes Vozes do Nosso Mundo, dirigido por Marco Pereira Oliveira. Em 2021 foi nomeado integrante da Comissão Técnica do Centro de Documentação Sociolinguística da Galiza do Conselho da Cultura Galega.

Bernardo Penabade é um referente do ensino da Língua Portuguesa na Galiza. Durante um período de 17 anos (1988-2005) introduziu as grandes obras das literaturas portuguesa e brasileira como complemento das aulas de língua e em 2005 foi um dos precursores da introdução da matéria específica de Língua Portuguesa na rede de ensino secundário galego, uma medida que contribuiu para um notável incremento da circulação do livro português na Galiza, para uma naturalização da presença de personalidades das letras portuguesas nas escolas galegas e para consolidar as viagens de estudo também em direção ao sul.   

Modelo Burela: 20 anos de ensino integrador

Burela é um concelho situado no norte da Galiza. Entre os seus 10.000 habitantes há uma representação de 50 nacionalidades, o que constitui um autêntico desafio para a atender toda a diversidade cultural dos e das estudantes.

Em funcionamento desde 2003, o Modelo Burela é uma intervenção educativa que faz ponte entre as comunidades educativas e o conjunto da cidadania. A realização de jornadas de animação à leitura e a promoção do diálogo intercultural através de intercâmbios educativos foi complementada coma posta em andamento de uma escola de comunicação através da rádio, com a emissão de dois programas semanais: Proxecto Neo e Grandes Vozes.

Proxecto Neo é a intervenção destinada à incorporação de pessoas que devem superar barreiras linguísticas, nomeadamente por causa das migrações.

Grandes Vozes, ponte musical bidirecional entre as duas beiras do Atlántico, unindo Europa com África e América, é um diálogo musical “entre os países de raiz galega”: todos os da Lusofonia. O espaço é emitido na rede de emissoras municipais da Galiza, na CUAC FM (da Corunha), Rádio Filispim (Ferrol), na Rádio Universitária do Minho (RUM) e na Internacional Lusófona de São Paulo.

No âmbito da atenção à diversidade, o Modelo Burela trabalha com alunado em situação de fracasso escolar extremo e impulsiona uma atuação educativa em colaboração com os serviços sociais e associações culturais, desportivas e recreativas, como agentes de inclusão social. Uma altíssima taxa de alunos e alunas atendidos neste programa durante estes 20 anos são de origem portuguesa, brasileira e cabo-verdiana.

Reconhecimento social

Neste período de 20 anos (2003-2023), o Modelo Burela recebeu importantes reconhecimentos ao trabalho de incorporação da mocidade em risco de exclusão. O prémio de inovação educativa outorgado pela Conselharia de Educação do Governo da Galiza em 2007 (e consecutivamente nas seguintes convocatórias) foi o primeiro, ao que se uniram em 2010 o da Fundación Peña Novo o da Fundación Donostia, Capital Europeia da Cultura (2016) e o da Coordenadora de Trabalhadores/as de Normalização Linguística (CTNL), o Mil Primaveras (2019).

Premios Meendinho

A Fundação Meendinho outorga anualmente un prémio destinado a pessoas e entidades em destaque no campo da dinamização cultural e linguística tendo em conta a dimensão internacional do nosso idioma. Em 2010, a primeira entidade premiada foi a Academia Galega da Língua Portuguesa. Em 2013 foi galardoado o Concelho de Montalegre; en 2015 Gilvan Müller, Presidente do Instituto Internacional da Língua Portuguesa; e posteriormente a rede de escolas Semente (2016), a cantora Uxía Senlle (2017), a professora Dores Fernández Abel (2019), a divulgadora cultural Noemí Vázquez Nogueiras (2020), a associação cultural Ponte nas Ondas (2021) e os artistas audiovisuais Artai Miragaia, Nee Barros (Neeumátiko) e Mario Brión (Olaxonmario), na edição do passado 2022.

REFERÊNCIAS

1.- A “pedagogia bernardiana” (desde o minuto 11:00)

2.- Ponte internacional de comunicação:

Documentário com principais linhas educativas:

Interação com a mocidade:

ATUAÇÃO DO ARTISTA SÉRGIO MIRRA:

Licenciado em Educação Musical, começou os seus estudos musicais no Centro de Cultura Musical nas Caldinhas (Santo Tirso). Mais tarde ingressou na Escola Profissional de Música de Viana do Castelo, onde concluiu o curso profissional de instrumento. Fez a sua licenciatura no Instituto Piaget em Canelas (Gaia) e a profissionalização em serviço na Universidade do Minho.

Como músico, fez parte do Grupo de cavaquinhos “Seara Nova” de Ronfe; do Grupo Musical Pedra D´Água, do grupo Canário & Amigos; e ainda dos Minhotos Marotos. O projeto “SÉRGIO MIRRA TRIO” surge da sua grande paixão pela música tradicional portuguesa.

Divulgação das “Vozes Femininas de Angola e Moçambique” na Faculdade de Filologia da Universidade da Corunha entre 11 e 21 de Dezembro

“A nossa música tradicional está muito viva”

Pastéis de bacalhau

Alba Blanco, 21 anos: “O único galego mal falado é o que não se fala”

A Ukestra do Medio abre o 1º Potemfest em Compostela

Lançamento do livro “Gotas – Desde a terra até às nuvens” de Adela Figueroa Panisse

Divulgação das “Vozes Femininas de Angola e Moçambique” na Faculdade de Filologia da Universidade da Corunha entre 11 e 21 de Dezembro

“A nossa música tradicional está muito viva”

Pastéis de bacalhau

Alba Blanco, 21 anos: “O único galego mal falado é o que não se fala”