O apontamento lusófono do DigochoEu continua a crescer



O conhecido espaço das redes da TVG dedica uma atençom inusitada ao português, com diferentes espaços em que se apresentam de forma lúdica diferenças e semelhanças entre o galego que defende a RAG e o português de Portugal. Porém, o ponto de vista do programa tem sido criticado e aplaudido por igual nas redes sociais.

O DígochoEu conta com site próprio desde maio. Nele recolhem-se os pequenos vídeos diários do conhecido programa que as redes da TVG dedicam ao galego, junto com os lançados no Tik Tok e os emitidos em Twitch. No ano escolar 2021-2022, o programa pretende dar um novo passo, melhorando a interaçom com docentes e estudantes, nomeadamente a partir da convocatória dos Prémios DígochoEu e através das centenas de vídeos de que já dispõe.

DígochoEu no Twitch

Para além dos pequenos vídeos, que já tinham grande procura no Twitter, no Instagram ou no Tik Tok, o programa emite agora polo Twitch dous novos conteúdos: O reto do DígochoEu e O Apuntamento Lusófono. O primeiro consiste numa entrevista a alguma personagem mediática, nomeadamente vinculada à TVG, que entre outras cousas é submetida a diferentes provas linguísticas. Já o Apuntamento Lusófono tem mais história, pois começou por ser uma pequena dica inserida em alguns vídeos dos DigochoEu, o pequeno programa com que a mesma locutora Esther Estévez tinha começado a emitir para as redes da TVG. O interesse que despertárom estes “apontamentos lusófonos” acabou por propiciar uma maior atençom a Portugal, com a emissom por Twitch de uma espécie de aulas de galego e português recíprocas (disponibilizadas também no youtube) em que participa Esther Estévez e o ator português Rodrigo Paganelli.

Elogios e críticas

Este espaço tem sido tam gabado como censurado no mundo reintegracionista. A primeira reaçom prende-se com o facto de o programa mostrar o português às pessoas interessadas no galego de forma lúdica e com a graça que caracteriza a condutora do espaço. A segunda vem por focar as diferenças entre galego e português de forma artificiosa, sobredimensionando a presença dos castelhanismos em português ou obviando as realizações dialetais que aproximam os dous lados dos Minho. Recentemente, o presidente da AGAL também criticou no programa Galego de Todo o Mundo, de Nós Televisión, o excesso de prescritivismo do DigochoEu, mesmo em contraposição à filosofia que orienta o Apuntamento Lusófono.

Um apontamento lusófono especial

Como é comum nas relações linguísticas galego-portuguesas, após um primeiro capítulo de aclimataçom ao sotaque do outro lado da raia, nos seguintes a comunicaçom entre os dous comunicadores torna-se completamente fluida, algo que, à margem das diferenças sobre as quais se debruçam, faz logo duvidar se podemos estar a falar de línguas diferentes. Paganelli e Estévez vam percorrendo conteúdos gramaticais e lexicais da(s) língua(s) entre músicas e brincadeiras que tornam curtas as perto de duas horas de cara capítulo. Porém, o penúltimo apontamento lusófono, o capítulo 8, foi por agora o mais memorável, pois som analisados diferentes textos orais galegos e portugueses para os condutores do programa adivinharem a origem das pessoas que aparecem a falar. Num dos vídeos identifica-se a voz do conhecido criador de conteúdo reintegracionista Paulo Mirás, que Paganelli chega a identificar como português, o que origina um interessante diálogo entre ele e Estévez nos seguintes 20 minutos.


PUBLICIDADE