Partilhar

Umha nova ediçom do Convívio da Cultura Galega, este sábado, na Carvalheira de Santa Isabel

O Convívio contará, entre outras actuações, com a Banda Juvenil de Rábade, Begonte, Outeiro e Friol, Sons e Soños, que será acompanhada pela soprano Tabea Graser, e com os c’Os Carunchos que apresentarão o seu mais recente trabalho inteiramente dedicado à Manuel Maria.

Este sábado, 13 de julho, realiza-se na carvalheira de Santa Isabel de Outeiro de Rei a 11ª edição do Convívio da Cultura Galega, organizado pela Casa-Museu Manuel María em conjunto com a Federação de associações Galiza Cultura.

Uma festa que pretende relembrar aquelas essências das festas populares que Manuel María tanto gostava, como a romaria que se fazia no seu Outeiro natal, ao pé do rio Minho, onde não faltou música e o jantar campestre e demorado.

Uma edição, esta, que tem algo de especial porque se completam vinte anos da morte de Manuel María, ocorrida a 8 de Setembro de 2004.

A jornada festiva deste sábado terá início às 11h15, tendo como ponto de encontro a Casa-Museu Manuel María e a coral Solfa será a encarregada de receber as festeiras e festeiros. Daí irá para o cemitério realizar uma pequena oferenda a Manuel María e Saleta. Será Xosé Lois García, escritor chantadés muito próximo de Manuel María, quem dirigirá algumas palavras de memória ao escritor e à sua companheira Saleta.

A partir das 12h30 a festa terá lugar na Carvalheira de Santa Isabel, onde atuará a Banda Juvenil de Rábade, Begonte, Outeiro e Friol, Sons e Soños, que estreará para a ocasião a peça intitulada Terra Chá, composta por Carlos Seráns a partir de texto de Manuel María, e que será acompanhado nesta e noutras canções pela soprano e professora de canto Tabea Graser. Após o concerto será realizado um almoço convívio para o qual a organização disponibiliza mesas e cadeiras mediante reserva.

A festa continuará à tarde, às 16h30, com uma festa liderada por Xurxo Souto, e onde haverá música de Tradivivas Agra, Reviravolta, Vento Mareiro e Parabéns, que darão lugar mais tarde, às 18h00, aos Carunchos. Este quinteto de música tradicional, que comemora trinta anos de existência, apresentará em concerto a recente obra musical que publicou Unha gorja chea de pajaros, um álbum inteiramente dedicado a Manuel María, onde não faltam poemas emblemáticos como ” A fala” ou “Galiza” e outras menos populares como “O Poder do Esquecimento” ou “Tríades dos Sonhos”.
Durante a manhã, as diretivas das entidades que integram a federação Galiza Cultura vão reunir-se, às 12h15, no auditório da Casa-Museu para articular a sua ação conjunta para o próximo ano.

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”

Lançamento do livro 50 anos de Abril na Galiza, no Festigal, o 25J em Compostela

Scarpaccia de cabacinha

Antonio de la Iglesia: Um polímata reintegracionista

Mercedes Rosón: “Nélida Piñon gera muito interesse, pola sua obra e polo seu vínculo com o nosso país, porque ela é também nossa’

Diego Garcia apresenta o seu primeiro conto no Concelho de A Mezquita o próximo 5 de agosto

Antônio Torres: “Fiquei impressionado com a quantidade de pessoas que espontaneamente se apresentaram para participar da Leitura Continuada, como o presidente da Academia Carioca de Letras, Sérgio Fonta, a escritora Lilian Fontes, a atriz Beth Goulart”