A semântica oculta de Mrs. Hockett, de Teresa Moure, vence o Manuel Murguia

Ditame do Certame de Narrações Breves - Manuel Murguia de Arteijo



certame-manuel-murguia-arteixo-2017

O relato A semântica oculta de Mrs. Hockett, de Teresa Moure Pereiro, vence o Certame de Narrações Breves Manuel Murguia. Foram segundo e terceiro prémio, respetivamente, Corazón de Aquiles, de Noelia Cendán Teijeiro e Reversible, de Jesús Amboage García.

Na cerimónia de entrega de prémios celebrada na passada sexta 19 de maio às 20:00 hs. no Centro Cívico e Cultural de Arteijo, a escritora Anxos Sumai, como representante do júri, valorizou assim as obras ganhadoras:

“Depois de vários contactos por correio eletrónico, chegamos à reunião final com dez finalistas dos que selecionamos três relatos pela sua inquestionável qualidade literária, pelas pessoais vozes narrativas, pela originalidade temática e pelo impecável uso da língua. Resultou excitante comprovar que as pessoas que fazíamos parte do júri coincidíamos sem quase discussão em ressaltar os relatos Reversible de Jesús Amboage, Corazón de Aquiles de Noelia Cendán e a A semántica oculta de Mrs. Hockett de Teresa Moure, daí que deixássemos constância na acta que os prémios foram concedidos por unanimidade. Por entusiasta unanimidade.

Há nos três relatos, absolutamente diversos na forma e no argumento, qualquer coisa a uni-los. Tanto o diálogo quanto o conflito –centro mesmo da literatura– são, ao nosso ver, a essência das três propostas criativas. No caso de Reversible, o diálogo, ou a tensão, produz-se entre a rotina urbana do protagonista e o redescobrimento apaixonado do mundo rural e entre umas personagens, perfeitamente construídas, que se entrelaçam para desembocar num surpreendente final. Quanto a Corazón de Aquiles, a autora confronta a investigação da ciência com o desejo infantil de ser herói, deslocando-se com mestria por distintos tempos narrativos e históricos, conciliando a realidade quotidiana com a cultura clássica. E, em fim, n’ A semântica oculta de Mrs. Hockett estabelece-se uma comunicação entre distintas disciplinas: a literatura, a linguística e as matemáticas, num fluído jogo —narrado impecavelmente, com ritmo e certa ironia— entre narrativa e poesia, entre códigos numéricos e emoções humanas.

Parabéns para Jesús Amboage, Noelia Cendán, Teresa Moure. Parabéns também para o Concelho de Arteijo pelo mantimento de um prémio que nasceu com o fim de estimular a criação literária e de favorecer a aparição de novas vozes narradoras e que se converteu numa referência para o género do relato, num prémio respeitado e cobiçado por autoras e autores consagradas, num prémio livre em que cabem todas as temáticas e todas normativas.”

O júri esteve composto por Anxos Sumai (escritora e representante da Associação de Escritoras e Escritores en Língua Galega), Beatriz Rodríguez Rodríguez (professora da Universidade de Vigo e representante da Associação Galega da Crítica), Diego Giráldez (vencedor na 25ª edição) e Alfredo Ferreiro Salgueiro (coordenador literário, que assistiu como secretário, com voz e sem voto).

58 foram os relatos recebidos, e 52 foram admitidos a concurso por cumprirem estritamente as bases. Os prémios contam coa seguinte dotação: 4.000 € para o primeiro, 500 € para o segundo e 300 € para o terceiro. Todos os três serão publicados em edição posterior.

logocertamemmurguiaComo novidade deste ano, a coordenação ressaltou a presença no júri de um membro da Associação Galega da Crítica, facto que, graças a um recente acordo de colaboração similar ao precedente com a Associação de Escritoras e Escritores en Língua Galega, contribui para vincular de maneira mais decidida o Certame ao sistema literário galego.

Aliás, o acto de entrega ofereceu outros aliciantes para os assistentes: a atuação musical do grupo Ejazz (composto por Marga Ramos, Betty Queiro, Ángeles Dorrio e Carmen Rey), as intervenções artísticas ao vivo do coletivo XIPA (coletivo artístico arteijão representado por Ana Crujeiras, Ricardo Veiga e Xián Novelle) e um vinho de honra como fim de festa.

O evento incluiu também uma lembrança da figura de Carlos Casares, escritor homenageado este ano no Dia das Letras Galegas, mediante a projeção de um vídeo em que se faz referência à relação do autor ourensão com Arteijo.

 

Mais informação na Web municipal sobre o Certame.

Na página da AELG.

 

Alfredo Ferreiro

Alfredo Ferreiro

Alfredo Ferreiro nasceu em 1969 na Corunha, onde estudou Filologia Hispânica. É membro da Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega, da Associaçom Galega da Língua e do Grupo Surrealista Galego. Tem publicado vários livros de poesia, individuais e coletivos. Desde a décadada de '90 colabora como poeta e crítico em revistas galegas e portuguesas. Dirige a revista digital de artes e letras Palavra Comum, orientada para o âmbito lusófono. Atualmente é coordenador do Certame de Narracións Breves Manuel Murguía de Arteijo.
Alfredo Ferreiro

PUBLICIDADE

  • https://pgl.gal Valentim R. Fagim

    Muitos parabéns para a nossa autora. Quando as portas se abrem entram flores, quando se fecham, tudo se murcha.

  • Ernesto V. Souza

    Parabéns Teresa, mas obrigados ao Concelho de Arteijo pelo exemplo e ao trabalho constante de Alfredo Ferreiro.