“Seique” de Susana Arins ganha o prémio de narrativa na Gala do Livro Galego

A obra está editada em galego internacional pola Através Editora



O livro Seique de Susana Sanches Arins, é a única obra premiada em galego internacional nesta convocatória. Trata-se da segunda ediçom, ampliada, da que o júri valorou “o exercício da memória pessoal e familiar e a projeção universal da mesma para compor um mosaico que se volve innovação estrutural e que o leitor tem que recompor, assim como a utlilização da oralidade na escrita.”seique2_capa-488x710

O veredicto fixo-se público no sábado passado, dia 9 de maio. A organizaçom da Gala do Livro Galego decidiu manter nesta data o  anúncio das obras ganhadoras, porém, a celebraçom do evento de entrega dos prémios fica pendente para o outono próximo, assim que as condiçons sanitárias permitam o ato público presencial.

O jurado desta ediçom estivo formado pola jornalista e poeta Ana Romaní, a profesora Anxos Rial, o escritor Antón Riveiro Coello, a poeta Estíbaliz Espinosa, o editor e professor Manuel Bragado, a tradutora María Alonso Seisdedos e o crítico literário e escritor Ramón Nicolás. Os livros que concorriam correspondem-se com obra publicada ao longo do ano 2019, e as finalistas podem-se consultar aqui.

Esta é a listagem completa de obras ganhadoras, por categorias:

Ensaio e investigaçom
Dentro da literatura, de Suso de Toro (Edicións Xerais de Galicia)

Divulgaçom
A que cheiran as cores? A esperada guía para coñecer o cerebro, de Juan Casto Rivadulla Fernández (Editorial Galaxia)

Narrativa

Seique (2ª ed. ampliada), de Susana Sanches Arins (Através Editora)

Infantil
A tartaruga Amodovou, de Paula Carballeira (Oqueleo)

Xuvenil
Os corpos invisibles, de Emma Pedreira (Edicións Xerais de Galicia)

Livro ilustrado
Irmá paxaro, de Tamara Andrés, ilustracións de María Montes (Cuarto de Inverno)

Livro de banda desenhada

A chaira, de Antonio Seijas (Alita Cómics Editorial)

Iniciativa bibliográfica
Castelao. Construtor da nación. Tomo I. 1886-1930, de Miguel Anxo Seixas Seoane (Editorial Galaxia/Consorcio de Santiago)

Traduçom
Frankenstein ou o Prometeo moderno, de Mary Shelley/Tradución de Samuel Solleiro (Aira Editora)

Poesia
Feliz Idade, de Olga Novo (Kalandraka Editora)

Teatro
Citizen, do Grupo Chévere (Kalandraka Editora)

Livro melhor editado
Fosforescencias, de Lupe Gómez/Ilustraçons de Anxo Pastor (Alvarellos Editora)

E na categoria de trajetórias os prémios forom para:

Iniciativa cultural ou fomento da lectura
Libraría Chan da Pólvora

Projeto literário na rede
Kalandraka TV

Jornalismo cultural
María Yáñez

Esta Gala é organizada pola Asociación Galega de Editoras (AGE), a Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega (AELG) e a Federación de Librarías de Galicia (FLG).

Sobre o “Seique”

seique não é um poemário, seique não é um romance, seique não é um ensaio, seique não é uma pesquisa histórica. porém, seique recolhe alguma cousa de cada um desses géneros. seique nasce duma estória de vida insignificante, anónima, para abordar uma reflexão sobre a [des]memória e as maneiras de construir a História.

seique não pretende ficcionar uma história, tomando como base uns factos conhecidos de todas, mas todo o contrário, seique parte de uns factos desconhecidos, seique por particulares, ou por insignificantes, seique: a história de um fascista tão sem importância que nem sequer aparece nos arquivos, mas que sim existiu, deixando, seique, marcas que as suas vítimas não esquecem [ou sim].

seique nasce de depoimentos orais, em parte fabulados polas suas próprias emissoras, pois seique o protagonista está desaparecido das fontes documentais. porém, se essas pessoas que viveram e falaram estão já mortas… que contamos, ló? como? que há de certo no que contam umas e outros? e se ademais quem narra faz parte da família? seique.

susana-arinsSusana Sanches Arins

Foi ganhadora do XXI Premio Nacional de Poesía Pérez Parallé com a obra [de]construçom, editada por Espiral Maior (2009). Posteriormente publicou aquiltadas (Estaleiro Editora, 2012), a noiva e o navio (Através Editora, 2012), seique (Através Editora, 2015), Carne da minha carne (Apiario 2018) e Tu contas e eu conto (Através Editora 2018). A segunda ediçom, ampliada do Seique, é de 2019. Na actualidade faz parte, também, da plataforma de crítica literária A Sega.


PUBLICIDADE