PP, BNG e PSOE debatem sobre os 40 anos de oficialidade do galego



A série de conversas “A língua em décadas”, emitidas ao vivo ao longo deste 2021 para avaliar o panorama a nível linguístico desde a sua oficializaçom, concluirá com um debate ao vivo entre os três partidos com representaçom parlamentar: 40 anos de oficialidade, e agora quê?

debate_gruposparlamentares_final2Este 2021, coincidindo com o 40 aniversário do Estatuto de Autonomia no PGL vimos desenvolvendo umha série de conteúdos extraordinários como fôrom as entrevistas semanais a pessoas de diversos ámbitos que se fôrom publicando semanalmente, assim como as conversas “A língua em décadas” em formato vídeo emitidas ao vivo, em que se fôrom analisando umha a umha as décadas do ponto de vista da situaçom do galego desde os anos 70 até a atualidade. Este especial concluirá na próxima quinta-feira, dia 16 de dezembro, às 20h com um debate a três bandas, conduzido por Charo Lopes, em que participarám representantes parlamentares das três forças políticas: Sandra Vázquez, do PPdG, Noa Díaz, do PsdG, e Mercedes Queixas do BNG.

Na próxima quinta-feira, dia 16 de dezembro, às 20h com um debate a três bandas, conduzido por Charo Lopes, em que participarám representantes parlamentares das três forças políticas: Sandra Vázquez, do PPdG, Noa Díaz, do PsdG, e Mercedes Queixas do BNG.

A série começou com a década de 70 e a participaçom de José-Martinho Montero Santalha, que pode ver-se aqui, continuou com José Luís Rodríguez para analisar a década de 80 e fechou o século Bernardo Penabade com a analise dos anos 90. Para começar o século XXI foi entrevistado Carlos Callón, que falou da primeira década do presente século. Da década de 2010 a entrevistada foi Maria Vila-Verde, e finalmente, para avaliar a atualidade falárom Jon Amil e Carme Saborido. Esta atividade, subvencionada pola Deputaçom da Corunha, tem por objetivo analisar os acontecimentos chave a nível de língua e a sua repercussom para o idioma, e concluirá com a avaliaçom destes 40 anos por parte das parlamentares dos três partidos com representaçom na câmara galega. Também se colocarám os principais desafios no presente e os desafios para o futuro.

O objetivo é analisar os acontecimentos chave a nível de língua e a sua repercussom para o idioma, e concluirá com a avaliaçom destes 40 anos por parte das parlamentares responsáveis de língua dos três partidos com representaçom na câmara galega. Também se colocarám os principais desafios no presente e os desafios para o futuro.

O evento poderá seguir-se ao vivo, às 20h, desde as contas do PGL de youtube e do facebook. As pessoas assistentes poderám escrever comentários ou perguntas durante a entrevista.

 

Sandra Vázquez, do PPdG
sandra-vazquez-dominguezEstudou Administraçom e Gestom de Empresas na USC e realizou um Mestrado Universitário em Banca e Seguros. Trabalhou até o ano 2015 no sector da banca. Senadora pola província de Lugo desde as eleições gerais de 2015 ata 2016, sendo vogal da Comissom de Economia e Competitividade, porta-voz da Comissom de Igualdade e vogal da Comissom de Petiçons. É concelheira em Vilalva desde o ano 2015. Na X legislatura no Parlamento foi porta-voz do Grupo Popular de Política Linguística e de Inovaçom e Empreendimento. Membro da Junta Diretiva do Partido Popular da Galiza.

 

 

Noa Díaz, do PSOE
diaz-varela-noa-susanaConcelheira em Santiago de Compostela (2019-20) onde, entre outras responsabilidades, estivo à frente das de Língua. Licenciada em Jornalismo pola Universidade de Santiago e em Publicidade e Relaçons Públicas pola Universidade de Vigo. Desde 1995 ata 2019 foi jornalista do Gabinete de Comunicaçom da Universidade de Santiago. Em 2007 coordenou o livro A esforzada conquista da Autonomía 1979-1981, de Ceferino Díaz.

 

 

 

 

Mercedes Queixas, do BNG
queixas-zas-mercedesLicenciada em Filologia Hispánica pola Universidade da Corunha, exerce como professora de língua e literatura galega de ensino secundário desde 1996. Entre 1995 e 2000 foi coordenadora da Editorial Laiovento, secretaria geral da Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega (AELG) entre 2005 e 2020 e coordenadora territorial de Equipos de Normalización e Dinamización Lingüística entre 2007 e 2010.
É membro da Sección de Lingua, Literatura e Comunicación do Consello da Cultura Galega e do Instituto de Estudos Locais José Cornide. Académica correspondente da Real Academia Galega desde 2008. Autora de diversos ensaios de carácter divulgador e investigaçom literária, bem como de várias obras de ficçom, tem participado como relatora em múltiplos foros de formaçom do professorado, análise literária, normalizaçom e planificaçom linguística aplicada aos contextos educativos.


PUBLICIDADE