NOVIDADE DA ATRAVÉS

‘Percursos sem roteiro’, de Joám Facal, novidade da Através

Este volume recolhe as reflexons e saberes de Joám Lopes Facal



Percursos sem roteiro (capa)Percursos sem roteiro, a mais recente novidade da Através Editora, recolhe as reflexons e os saberes de Joám Lopes Facal, um autor que impregna os seus textos da maturidade de quem já viveu muitos frentes de batalha e de paz. O prólogo começa assim:
Percursos sem roteiro, ao acaso, onde os passos nos levarem é o título que agrupa este maço de artigos que agora se graduam em dignidade de livro. Umha mancheia de textos avulsos, ordenados agora, filhos naturais e recentes do autor, serôdios portanto no seu ciclo vital. A motivaçom dos percursos empreendidos vem da vontade circunstancial de falar em voz alta que às vezes acomete qualquer um de nós, e desse fundo de experiências que a memória guarda e, talvez por cima de todo, das leituras apressadas ou demoradas que vamos sorvendo aos golos guiado polo gosto e o interesse.

Percursos sem roteiro divide-se em vários capítulos com as seguintes temáticas: Galaicidades, Escrito sobre a água, Longa língua e Incursons.

  • Galaicidades. As galaicidades tratam do país, do território deitado entre os montes e o poente que vai do Ortegal ao Minho e daí ao Douro, esses dous rios separados por umha ténue fronteira de ar.
  • Escrito sobre a água. aludem a fugazes biografias, a notas marginais a pé de página de um livro de história que ninguém escreveu.
  • Longa língua. Fôrom muitas as horas da vida gastadas em habitar a língua que nos comunica e nos acolhe e era obrigado julgar o seu estado.
  • Incursons. Fala mormente de intervençons nom solicitadas de índole política.

Sobre o autor

Joám-Lopes-Facal-opiniom.jpgJoám Lopes Facal (1940) nasceu na aldeia de Toba, em frente do Monte Pindo e ao pé da Ria de Corcubiom. É membro activo de umha família de nove irmaos, pai de três filhos e avó de dous netos. A mulher da sua vida chama-se Ana e nasceu em Ponte Vedra.

Cursou os estudos de engenharia na Escola Técnica Superior de Engenheiros Industriais de Madrid e os de economia nas Faculdades de Santiago e Madrid (Somosaguas). Doutorou-se em ciências económicas com umha investigaçom sobre a casa de banca compostelana de Olímpio Pérez. Possui o titulo de português pola EOI de Compostela. Desempenhou a sua atividade profissional em diversas empresas de Madrid e de Galiza. Foi também professor associado da USC.

A sua militáncia política foi intensa mas breve, limitada à Esquerda Galega desde o nascimento do partido até a sua extinçom. Foi deputado por este partido na terceira legislatura do Parlamento da Galiza.

A música, a leitura e os labores da terra som ingredientes fundamentais da vida de retirado ativo que gosta de levar. Colabora em forma circunstancial na imprensa digital galega com querença pola defesa da construçom nacional, o ativismo cívico e cultural e o reintegracionismo linguístico. Todo isso temperado com a memória vivida e lida, que é património dos anos.


PUBLICIDADE

  • Ernesto V. Souza

    Que bom… um livro com escritos reunidos do amigo Facal, seguro que dá para o entender como escritor maior e resulta um importante contributo a esse modelo de língua que entre todos e por cá, tratamos de criar.

    • Joám Lopes Facal

      Boa-vinda ao emissor de tanta alerta precoce, saudaçons ao amigo vigia sempre à espreita