Todos os artigos marcados como "opiniom"

  • A Geografia de Fraguas

    No Dia das Letras, Ernesto V. Souza lembra a figura do homenageado Antonio Fraguas e reivindica o peso da sua obra ‘Geografia de Galicia’

  • Re-inte-gracionismo… Transitamos?

    Antia Cortiças defende o modelo reintegracionista e o processo de auto-apoderamento linguístico ligado ao mesmo.

  • Galiza Bilíngue (I)

    Eliseu Mera faz uma defesa do bilinguismo baseado na língua própria e tomando como referente o modelo catalão de imersão linguística.

  • Binormativa: o futuro é agora

    Mais uma opinião sobre o modelo binormativista da mão de Antón de Guizán, que põe no foco as vantagens e potencialidades do mesmo.

  • A eutanásia

    Ramom Varela analisa os modelos éticos frente a eutanásia, questão que centrou o debate público das últimas semanas.

  • Duas normativas para o galego?

    Xoán Antón Pérez-Lema dá conta do estado da questão binormativista, valorando avanços e urgindo atuações.

  • Da Blockchain ao anarquismo de Ricardo Mella

    Paulo Gamalho explica o anarquismo escondido por trás das ‘bitcoin’ para ligá-lo com o ideário de Ricardo Mella e o ativismo social do nosso país.

  • Prisciliano como arauto da nova era

    “Mãe Primordial, “Senhora de todos os povos“– Dizem que a germinação só acontece sob a terra, ao abrigo de todos os ventos e de todas as luzes múltiplas”  (várias leituras que permitiram esta composição livre) Para situar a obra feita por Prisciliano, e a semente deitada, na fértil terra Galaica e Lusitana, começaremos primeiro por falar dos Essênios. Estas […]

  • A cas Ferrim ou a cas Carou?

    Talvez polo passo do tempo, talvez porque nesta andaina que vamos fazendo todos cada vez sou mais consciente de que as identidades de cada quem vão formando-se por adição e resta de elementos trazidos daquí e dacolá, que depois se vão cristalizando em diferentes escalas. Alguns deles são partilhados com alargadas comunidades, outros são apenas […]

  • Espanha deve pedir perdão?

    Ramom Varela repassa os desastres diplomáticos do Estado espanhol e reflite sobre a necessidade duma desculpa por parte das forças coloniais.