Todos os artigos marcados como "Eliseu Mera"

  • Galiza bilíngue (II)

    Depois da publicação do inquérito do Instituto Galego de Estatística (IGE) de 2018 que reflete as percentagens de uso da nossa língua nas diferentes faixas etárias encontramos diversas reações. No governo galego aplaudia-se que se registasse uma certa recuperação no número total de falantes. No entanto, a maior parte das análises assinalavam a forte queda […]

  • Galiza Bilíngue (I)

    Eliseu Mera faz uma defesa do bilinguismo baseado na língua própria e tomando como referente o modelo catalão de imersão linguística.

  • A equipagem está pronta

    Eliseu Mera fala sobre a convergência de perspetivas no caso da norma ortográfica galega a consequência das declarações do presidente da RAG, Víctor F. Freixanes.

  • Mais Sabela e menos farinha

    Começou 2018 com um importante fenómeno televisivo, a série Fariña. Baseada no magnífico livro de Nacho Carretero que, como tempos atrás, pudemos comprar em Portugal perante um sequestro judicial, conta as histórias dos famosos contrabandistas e narcotraficantes da Ria de Arouça dos anos 80 do século passado. Nela, volta-se a responsabilizar o povo galego do […]

  • Constituída em Braga Rede da GaliLusofonia

    No Sábado, 24 de Novembro, celebrou-se, na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva de Braga, a reunião de constituição da Rede da GaliLusofonia. O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio, inaugurou esta reunião, quem viu “com bons olhos este estreitar de laços entre as populações dos dois lados da fronteira, reforçando a identidade comum […]

  • Sementes à vista

    Poucos projetos como as Escolas Semente alcançárom um grau de simpatia tam alto. Perante o dramático facto de que, na maior parte do território, seja inviável a transmissom familiar da língua à seguinte geraçom, iniciativas como esta costumam ser bem-vindas. Há quarenta anos que estamos a aguardar inutilmente por uma mudança que normalize o uso […]

  • Estou canso, mas se quadra mesmo é bom

      Contam que o Alfredo di Stefano, sendo treinador do Valência, indicou um dia ao seu guarda-redes: “Arquero, vale que las que van dentro no las saqués, pero las que van fuera no las metás”. Isso parece que é o que estivemos a fazer com a língua galega nos últimos quarenta anos: utilizarmos todas as […]

  • Ópera e sentir popular: de Milão a Barcelona

    A reação do público do teatro do Liceu de Barcelona pedindo a liberdade do presidente Puigdemont, e a de outros presos políticos, após a representação da ópera André Chénier, levou-me a escrever este breve post. Não pretendo comparar nem valorizar situações senão simplesmente falar da capacidade de gerar emoções coletivas que tem o teatro musical. Constuma-se […]

  • Carlos V. Padín: “Cumpre persuadir de que o galego é um ativo, não um passivo”

    Eliseu Mera entrevista para o PGL Carlos Vázquez Padín, vereador no concelho de Tui e líder da formação liberal galeguista Convergência 21, que recentemente aderiu o esquema de “dupla normativa”.

  • O “dó de peito” ou… é um tenor um capão degolado?

    Devido à técnica vocal utilizada até o século XIX, as notas mais agudas escritas para as vozes masculinas costumavam cantar-se com registo de falsetto, técnica de que falámos a respeito de como interpretar hoje os papéis escritos para castrati. O primeiro cantante em dar este dó4 -sem utilizar este recurso- foi o tenor francês Gilbert Duprez (1806-1896), […]